O #Sporting terá acesso às competições europeias na próxima época, através da integração no play-off de acesso à Liga dos Campeões, uma vez que tudo indica que ficarão em terceiro lugar no campeonato nacional na presente época. No entanto, devido à derrapagem das contas, o clube de Alvalade não cumpriu as normas do fair-play financeiro. Por regra, por cada período de avaliação (3 anos), os clubes podem gastar até 5 milhões a mais do que ganham. Excecionalmente, podem ultrapassar este limite, no caso de investimentos em estádios, centro de estágios ou na formação, em que estes valores não são incluídos na análise.

Este limite pode ainda ser aumentado até a um certo nível caso seja coberto por parte dos donos do clube, sendo estes limites de 45 milhões de euros, se considerarmos as épocas 2013/14 e 2014/15, e de 30 milhões de euros, se considerarmos as três épocas seguintes (valor este que será ainda mais exigente em épocas futuras). O Sporting, que tem feito aumentos de capital desde que Bruno de Carvalho assumiu a presidência (já vão no valor total de 108 milhões de euros), acumulou nos dois anos anteriores um prejuízo que ronda os 34,9 milhões de euros: prejuízo de 43,5 milhões, em 2012/13, e um saldo positivo de 8,6 milhões, em 2013/14.

Se os requisitos do Fair Play Financeiro não forem cumpridos, o Comité de Controlo da UEFA decide quais as medidas e sanções a aplicar, havendo vários tipos, que vão, por exemplo, desde a simples advertência, repreensão, multa ou dedução de pontos, podendo nos casos mais graves as equipas envolvidas verem ser retirados títulos ou prémios, ou a desqualificação e/ou exclusão de futuras competições.

O Sporting esclareceu, num comunicado divulgado este sábado, que na sexta-feira passada chegou a um acordo com a UEFA. Assim, precisará "apenas" de apresentar um saldo positivo de 4,9 milhões de euros em julho deste ano, para cumprir o limite exigido pela UEFA, designadamente o passivo de 30 milhões de euros nos três exercícios. O comunicado menciona ainda as penalizações que o clube poderá sofrer, caso não consiga cumprir esta exigência, nomeadamente, restrição quanto ao número de jogadores que poderão inscrever nas competições europeias (em princípio só poderão inscrever 22, em vez dos 25 na lista A) e ainda retenção de prémios.

Esta retenção também varia de acordo com a situação em concreto: sabe-se que caso o Sporting não cumpra poderá ter de pagar 2 milhões de euros (a serem retidos em determinadas circunstâncias), mas outros clubes, como o Inter e Roma (Itália) e o Lukomotiv (Rússia), que neste momento também não cumprem as regras do Fair-Play Financeiro, poderão ter que pagar até 30 milhões de euros. Para além destes, a UEFA anunciou na passada sexta-feira os seguintes clubes incumpridores das regras do Fair Play Financeiro: Beşiktaş e Karabükspor (Turquia), Mónaco (França), Kranosdar e Rostov (Rússia) e CSKA Sófia (Bulgária), fazendo um total de 10 clubes que foram chamados à atenção. Assim se percebem melhor as palavras do treinador do Sporting, Marco Silva, quando tem mencionado inúmeras vezes que o futuro do Sporting passará pelos jogadores de formação. #Futebol