Afinal, a notícia chocante sobre a decisão de Gabriel Batistuta em amputar as pernas era falsa. A notícia começou na imprensa sul-americana e divulgou-se rapidamente pelo mundo. Agora, o filho da antiga estrela do futebol argentino, veio a público fazer um desmentido. Lucas Batistuta disse ao jornal argentino Olé que o pai "está melhor" e nem pensa nessa hipótese de amputar as pernas.  

As declarações de Gabriel Batistuta sobre as dores insuportáveis de que padecia pertencem, afinal, ao passado. O poderoso avançado terá feito um pedido desesperado, já três anos atrás: "Cortem-me as pernas que eu não aguento mais". As declarações foram citadas pelo jornal El Correo e reproduzidas um pouco por todo o mundo, nesta segunda-feira.

Apesar das más notícias, o antigo craque está a melhorar. Já foi operado a um tornozelo e poderá sê-lo novamente, para que lhe seja colocada uma prótese mas no tornozelo, segundo informou o médico que o tem acompanhado, Roberto Avanzi, à Radio Del Plata. O médico confirmou o pedido de Batistuta: "Veio cá um dia, desesperado, e pediu-me para lhe cortar as pernas, como o Pistorius, que não queria viver assim. Mas isso já foi há três anos".  

O pior já estará ultrapassado e de acordo com as declarações do filho do astro argentino, nesta segunda-feira, Gabriel Batistuta está bem melhor agora. Enquanto futebolista, Batistuta recebeu muitas infiltrações para continuar a jogar, para assim suportar as dores nos joelhos. Goleador incrível, ficou conhecido na história do futebol como "Batigol". Brilhou em Itália, na Fiorentina onde até tem uma estátua em Florença, mas também no Roma e no Inter de Milão. Ao serviço da Argentina, é dele parte importante da última grande conquista da selecção "albiceleste" na #Copa América.  

Numa altura em que Lionel Messi tenta voltar a levar a selecção argentina ao topo do futebol argentino, nada como recordar o anterior craque da selecção das "Pampas",que venceu a prova em 1991 e 1993. É ainda ele o melhor marcador da história da Argentina, com 54 golos pela sua selecção. Aos 46 anos, o corpo reclama do esforço e medicamentos que tomou para suportar as dores e continuar a jogar e a marcar golos. "Batigol" admitiu mesmo já ter urinado na cama, só para não se levantar e ter que caminhar três metros até alcançar a casa de banho, segundo informa o jornal La Nación.  

Apesar das informações hoje veiculadas, a artroscopia a que Batistuta foi submetido permite-lhe, agora, caminhar normalmente e até jogar futebol, com amigos.