Já com cinco equipas apuradas para os quartos de final da prova, faltavam conhecer as adversárias da China, Austrália e Canadá. Nas últimas três partidas dos oitavos de final, não houve surpresas quanto aos apuramentos dos EUA e do Japão, campeão em título, ainda que as americanas tenham sentido algumas dificuldades no jogo frente às colombianas. O embate entre Inglaterra e Noruega resultou na vitória das inglesas, depois de uma partida bastante equilibrada em que qualquer uma das equipas podia ter seguido em frente.

Inglaterra 2 - 1 Noruega

Um dos jogos mais equilibrados dos oitavos de final foi entre as campeãs do mundo de 1995 e uma selecção inglesa à procura do seu primeiro título na competição. Na primeira parte, jogada a ritmo baixo, foi a selecção norueguesa que esteve mais perto do golo, muito por culpa da falta de agressividade das inglesas, que jogaram os primeiros quarenta e cinco minutos muito recuadas, facilitando o trabalho às nórdicas. O início da segunda parte ficou marcado pelo golo da Noruega, aos 54 minutos, num cabeceamento de Gulbrandsen após canto, em que fica a sensação de que a guarda-redes ficou mal na fotografia. Após o golo, a equipa inglesa transfigurou-se e começou a jogar com mais agressividade e mais subida no terreno.

E foi com essa mudança que chegou ao empate aos 61 minutos, também num cabeceamento após canto, através da capitã Houghton. Nesta altura, as inglesas acreditavam e começavam a sufocar as nórdicas com pressão alta e bom controlo de bola. Foi então, sem surpresa, aos 76 minutos, numa jogada entre Jill Scott e Jodie Taylor, que entraram na segunda parte, que Lucy Bronze pegou na bola fora da área e num magnífico remate, a 25 metros da baliza, colocou a Inglaterra em vantagem pela primeira vez no jogo. Um golo fantástico da jogadora luso-britânica que deu a primeira vitória à Inglaterra num jogo a eliminar de uma fase final.

EUA 2 - 0 Colômbia

Sem surpresas, as americanas seguem em frente, mas num resultado suado contra uma equipa colombiana que mostrou que não foi apurada para os oitavos de final por mero acaso. A guarda-redes colombiana, Catalina Perez, foi uma das figuras do encontro, ao defender vários remates das americanas na primeira parte, mas foi no segundo tempo que se destacou pelas piores razões. Numa jogada em que Alex Morgan seguia sozinha para a baliza, Perez comete falta para grande penalidade e é expulsa com vermelho directo. A Colômbia passava agora a jogar com dez e a tarefa de sair de Edmonton com uma vitória parecia cada vez mais difícil. No entanto, na conversão do castigo máximo, Wambach atirou ao lado perdendo a oportunidade de colocar a sua equipa em vantagem, e de igualar Marta como melhor marcadora de sempre em fases finais. Foi preciso esperar mais alguns minutos para Alex Morgan entrar na área e rematar à baliza, abrindo o marcador para as americanas. A guarda-redes Castano ficou mal na fotografia pois ainda tocou na bola com a luva esquerda, mas não conseguiu impedir que o esférico entrasse na baliza. Aos 66 minutos, Angela Clavijo faz falta sobre Rapinoe dentro da área e desta vez Lloyd não desperdiçou o castigo máximo, colocando o resultado final em 2-0.

Japão 2 - 1 Holanda

As campeãs do mundo tiveram tarefa fácil contras as holandesas, que nunca conseguiram contrariar o controlo das japonesas durante todo o jogo. Aos 10 minutos de jogo, Ariyoshi abriu a contagem, com um remate forte dentro da área, numa jogada de insistência após o cabeceamento de Ogimi acertar na barra. Já na segunda parte, aos 78 minutos, Sakaguchi aumentou a vantagem das nipónicas, num remate à entrada da área que colocou um ponto final no jogo. As holandesas ainda conseguiram um golo de honra aos 92 minutos, através de um cabeceamento fácil de Den Ven que a guarda-redes Kaihori não conseguiu segurar.

Depois de todos os jogos disputados já se conhecem os embates dos quartos de final marcados para dia 26 e 27 de Junho:

China - USA

Alemanha - França

Austrália - Japão

Inglaterra - Canadá #Futebol Feminino