A situação de Iker Casillas na baliza do Real Madrid é cada vez mais tensa. Perante as notícias que davam como certa a sua saída, o guarda-redes comunicou ao clube que só deixará o Santiago Bernabéu este Verão se receber a totalidade do valor que figura no seu contrato, ou seja, 14 milhões de euros: sete por cada uma das duas temporadas que ainda faltam para o fim do acordo. Perante esta exigência do internacional espanhol, o emblema merengue disponibilizou-se para assumir metade dessa quantidade, sugerindo que o restante seria cobrado ao próximo clube do guardião, como prémio de assinatura. Mas o jogador não se demoveu da sua posição inicial.

Ao longo desta quarta-feira foram-se avolumando os rumores de uma possível saída do guarda-redes do #Real Madrid. A TVE, em particular, assegurou que Iker Casillas tinha chegado a um acordo com o clube presidido por Florentino Pérez para rescindir o seu contrato. Segundo a televisão estatal espanhola, a saída aconteceria por mútuo acordo entre o clube e o jogador. A notícia referia ainda que, por esta altura, o futebolista não saberia, ao certo, qual seria o seu destino. Contudo, fontes próximas do jogador asseguraram ao jornal online Vózpopuli que Casillas não chegou a nenhum acordo e que, até que o Real Madrid pague os 14 milhões de euros que figuram no contrato, a sua intenção é continuar no Santiago Bernabéu.

O entorno do guarda-redes considera que as notícias que dão conta da saída de Iker do Real Madrid fazem parte de uma "campanha de pressão" que o presidente Florentino Pérez lançou nos meios de comunicação social. Uma campanha que terá como objectivo pressionar o guardião a aceitar a proposta do presidente e que se baseia em notícias sobre a iminente chegada de De Gea ao Santiago Bernabéu e revelações que dão como certo que a saída de Casillas do clube é apenas uma questão de horas.

Enquanto tudo isto se sucede, o jogador continua a trabalhar tranquilamente com a selecção espanhola em León, onde a Espanha vai defrontar a Costa Rica. A saída do futebolista do Real Madrid depende, portanto, de uma só decisão: que Florentino Pérez aceite pagar os 14 milhões de euros que constam no contrato do guarda-redes. #Futebol