Diego Armando Maradona vai ser candidato à presidência da #FIFA. O anúncio foi feito pelo jornalista uruguaio Víctor Hugo Morales, a quem a antiga estrela do #Futebol mundial terá confessado que tem condições para disputar o lugar ocupado por Joseph Blatter desde 1998. Amigo do sempre controverso Maradona, Víctor Hugo Morales recorreu à sua conta do Twitter na passada segunda-feira para revelar que o argentino lhe contou que será candidato a presidente da FIFA e que o terá autorizado a fazer essa revelação. O mesmo jornalista adiantou ainda que algumas federações árabes já teriam manifestado o apoio à eventual candidatura de Maradona. O anúncio foi feito num dia histórico, pois foi a 22 de junho de 1986 que teve lugar a famosa "mão de Deus", quando Maradona marcou com a mão no Mundial do México, antecipando-se ao inglês Peter Shilton.

Há muito tempo que aquele que é considerado como um dos melhores futebolistas de todos os tempos é um crítico acérrimo do sistema vigente na FIFA, nomeadamente desde que a entidade que rege o futebol mundial era liderada pelo brasileiro João Havelange. Eleito pela primeira vez em 1998, Joseph Blatter renunciou ao cargo recentemente, apenas quatro dias após ter sido reeleito, não resistindo aos efeitos provocados por um mega escândalo de corrupção que levou sete dirigentes da entidade para a prisão. De resto, também o próprio dirigente suíço e o secretário-geral Jeróme Valcke estão a ser investigados pela justiça suíça e também pelo FBI, sob suspeita de corrupção. Após as detenções, Maradona, atualmente com 54 anos, mostrou-se agradado e considerou que bastava de "mentiras" e do espetáculo "preparado" para reeleger Blatter.

Vários têm sido os nomes apontados como putativos candidatos à presidência da FIFA. Desde o também antigo futebolista Zico ao jordano Ali bin Al Hussein, adversário de Blatter no último escrutínio, passando ainda por Musa Bility, presidente da Associação de Futebol da Libéria. Platini e #Luís Figo são outros nomes ventilados. Ainda não há data oficial para a realização das novas eleições, mas o ato eleitoral deverá realizar-se entre dezembro deste ano e março de 2016.