O Brasil saiu derrotado da partida da segunda jornada do grupo C da Copa América. E Neymar mostrou, ao longo dos noventa minutos, não estar nos seus dias. Além da exibição aquém das expectativas, o internacional brasileiro esteve envolvido em várias picardias com jogadores da equipa adversária, que o provocavam com facilidade. Os maiores problemas, porém, estavam reservados para o final do jogo. Neymar envolveu-se fisicamente com Carlos Bacca e a confusão passou a reinar no terreno de jogo, com a equipa de arbitragem a expulsar ambos os atletas.

Na sequência destes eventos, o jogador do Barcelona foi sancionado com uma partida de suspensão, o que o colocaria de fora das opções de Dunga apenas na última jornada do grupo, frente à Venezuela. No entanto, a Conmebol, Confederação Sul-Americana de #Futebol, avaliou pormenorizadamente os incidentes da partida da última quinta-feira e deu um novo parecer relativamente ao castigo de Neymar. Afinal, o capitão da "canarinha" apanhou, além de uma multa de dez mil dólares, quatro jogos de suspensão. Isto significa que, mesmo que o Brasil chegue à final do torneio, Neymar não voltará a calçar as chuteiras na presente edição da #Copa América.

A Conmebol, em comunicado, justifica a sua decisão, descrevendo-a como sendo a "consequência da sua expulsão e feitos posteriores ocorridos no encontro disputado contra a Colômbia", os quais resultaram igualmente na suspensão do colombiano Bacca, embora por apenas dois jogos. Esta decisão é, naturalmente, passível de recurso, pelo que a Confederação Brasileira de Futebol deverá avançar para o mesmo.

Tal como no Mundial 2014, que se realizou precisamente no Brasil, Neymar abandona a Copa América 2015 depois de partida com a Colômbia. No ano passado, o número 10 do "escrete" lesionou-se com alguma gravidade após choque físico com o lateral Zúñiga, deixando-o de fora das meias-finais do campeonato do mundo. O conjunto brasileiro viu-se, então, em sérias dificuldades sem o seu principal jogador, tendo inclusive sido derrotado por expressivos 7-1 pela Alemanha, que viria a vencer a competição. Veremos como irá, desta vez, reagir a seleção agora liderada por Dunga.