Parma e CSKA Sofia vão descer aos campeonatos amadores dos respectivos países. Os italianos da cidade de Parma tiveram diversos problemas durante a última época e foram relegados em campo para a segunda divisão ao ficar no último lugar da Série A. Já os búlgaros são também vítimas de problemas financeiros, apesar de até terem estado na fase de apuramento de campeão e para as competições europeias na Bulgária.

Parma declara segunda falência da história

Em Itália, o Parma foi declarado falido em Maio. Para se manter nas competições profissionais e preencher a vaga a que tem direito na Série B (segundo escalão), os parmesãos teriam que encontrar um comprador até às 13h00 desta segunda-feira. Mas ninguém surgiu para investir. Desta forma, o futuro do histórico emblema passará, muito provavelmente pela Série D, quarto escalão do #Futebol italiano e primeiro dos amadores.

Depois de uma década de 1990 notável, o Parma começou a entrar numa queda vertiginosa aquando da crise na Parmalat. Em 2004, só a mudança de nome evitou a relegação ao futebol amador, na primeira vez que o clube declarou falência. Agora, em 2015, a queda para os escalões amadores não deverá mesmo ser evitável, com uma nova entidade a começar na Série D. Para a história ficam os dois títulos na Taça UEFA (actual Liga Europa), um na Taça das Taças e um na Supertaça Europeia, três na Taça de Itália e um na Supertaça italiana.

CSKA Sofia com situação semelhante

A situação dos búlgaros do CSKA Sofia é também grave. O emblema da capital da Bulgária foi condenado à descida para a terceira divisão e à perda do estatuto de profissional. Na origem da decisão da Federação de Futebol da Bulgária estão dívidas de quase 15 milhões de euros, e a incapacidade dos proprietários em pagá-las. Sendo um dos clubes mais populares do país, o CSKA Sofia detém o recorde de títulos no principal campeonato do país (31), sendo o segundo com mais Taças nacionais conquistadas.

Portugueses no Parma e no CSKA Sofia

Quer Parma, quer CSKA Sofia, tiveram jogadores portugueses ao serviço na época 2014/15. Os italianos contaram com Pedro Mendes e Silvestre Varela, enquanto os de Leste tiveram Toni Silva nas suas fileiras.