Quatros jogos emocionantes decidiram quem são as quatro equipas do topo mundial de #Futebol Feminino deste ano. Uma selecção inglesa que continua a fazer história, um Japão, campeão em título, que quer alcançar o topo mais uma vez, uma selecção americana com fome de erguer a taça 16 anos depois e uma Alemanha que deseja confirmar o estatuto de favorita. São estas as equipas que lutam pelo lugar mais alto do futebol feminino.

Inglaterra 2 - 1 Canadá

Uma entrada forte das "leoas" permitiu à equipa inglesa chegar a uma vantagem de dois golos antes do quarto de hora. Aos onze minutos, numa perda de bola de Lauren Sesselmann, Jodie Taylor correu para a baliza e, depois de tirar uma defesa do caminho, rematou para o primeiro golo da noite. As canadianas ofereciam uma prenda às adversárias e começavam o jogo a perder frente ao seu público. Mas o pior estava para vir. À passagem do quarto de hora, Fara Williams bate um livre que encontra a cabeça da luso-britânica Bronze que, num cabeceamento em arco, assinou o segundo golo da noite e o seu segundo golo na competição. Dois golos de desvantagem que tornavam tudo mais difícil para a equipa da casa.

Era necessário fazer algo, e foi isso que fez Ashley Lawrence, aos 42 minutos, num remate de pé esquerdo dentro da área, que, após defesa incompleta da guarda-redes inglesa, caiu nos pés de Sinclair que não desperdiçou e reduziu a vantagem. A equipa da casa ganhava um novo fôlego e passou a acreditar, assim como o seu público. Na segunda parte, as canadianas tentaram inverter o resultado, mas o marcador acabou por não sofrer mais alterações.

Austrália 0 - 1 Japão

Um jogo bem disputado, em que as japonesas foram muito perdulárias, e no qual as australianas assustaram, mas sem nunca conseguir converter. O golo japonês chegou apenas aos 87 minutos, após confusão na área na marcação de um canto, que Iwabuchi aproveitou para colocar o Japão nas meias-finais da competição.

China 0 - 1 EUA

Apesar do magro resultado, o jogo foi sempre dominado pelas americanas que conseguiram chegar à vantagem aos 51 minutos por Lloyd, num cabeceamento após cruzamento de Julie Johnston. Ali Krieger ainda podia ter aumentado a vantagem para as americanas, mas atirou a bola ao ferro e o resultado manteve-se.

Alemanha 1 - França 1 (5-4 após grandes penalidades)

O jogo grande dos quartos-de-final, entre duas candidatas ao título, prometia grandes emoções e um desfecho imprevisível. Foi a selecção francesa que esteve sempre por cima do jogo, mas desperdiçou demasiadas oportunidades para sair de Montreal com uma vitória. Necib foi a melhor jogadora francesa, e representa bem aquilo que foi o jogo da França, duas oportunidades de golo da jogadora francesa falhadas na primeira parte, que podiam ter matado o jogo. Só aos 64 minutos, depois de um mau alívio de Peters, Necib conseguiu colocar a bola na baliza e colocar a França em vantagem. Uma vantagem mais que merecida que apenas pecava por escassa.

Depois do golo, a Alemanha foi obrigada a entrar no jogo para discutir o resultado e foi de grande penalidade, aos 84 minutos, num lance de difícil análise, que Šašić repôs a igualdade e levou o jogo a prolongamento. Thiney teve o golo da vitória nos pés, mas o empate manteve-se até aos 120 minutos, levando a decisão para grandes penalidades. Angerer foi a heroína alemã ao defender a última penalidade francesa, levando a sua selecção até às meias finais.

A não perder

30 de Junho, 00h00: EUA - Alemanha

1 de Julho, 00h00: Japão - Inglaterra