Aconteceu em Guimarães. No treino do Vitória, neste sábado, as elevadas temperaturas e o Ramadão precipitaram um tremendo susto. Nassim Zitouni, jogador argelino do Vitória de Guimarães, desmaiou já na parte final do treino e causou grande apreensão entre adeptos, jogadores e equipa médica. O médio ofensivo de apenas 21 anos não terá aguentado o esforço fisiológico de cumprir o Ramadão, como manda a #Religião.

Foi já na parte final do treino de preparação, quando os atletas realizavam alguns exercícios de descompressão, que se deu o grande incidente. O jovem argelino caiu redondo no chão, para desespero dos presentes. Alguns minutos depois de iniciada a assistência, Nassum Zitouni recuperou os sentidos e acabou por deixar o relvado pelo próprio pé.

Tudo não terá passado de um grande susto, mas ficou o alerta. Em causa terá estado o facto do atleta ser fiel ao Ramadão. Segundo a religião islâmica, os seguidores fazem um jejum de um mês, em que se abstêm de ingerir alimentos desde o nascer ao pôr do sol. Este ano o Ramadão cumpre-se de18 de Junho a 17 de Julho. Ou seja, os futebolistas que se regem por esta prática vão passar a pré-época em extremas dificuldades, sobretudo com as elevadas temperaturas que se têm feito sentir em Portugal.

Nassim Zitouni chegou a Guimarães na última época, proveniente do Lyon, de França. Este argelino nunca se impôs como indiscutível na equipa de Rui Vitória, e jogou mais na equipa B vimaranense. No entanto, está referenciado como um atleta muito promissor e de inegável talento.

A vinte dias do final do Ramadão, Nassim deu os primeiros sinais de alerta e pode estar a comprometer a preparação para a nova época. Num dia em que os termómetros passaram os 30 graus, escreve o jornal O Jogo que Nassim não estava a apresentar um rendimento regular, durante o treino, destacando-se, pela negativa face aos colegas.

Quem não terá gostado nem um bocadinho do sucedido foi o presidente, Júlio Mendes. Segundo a edição do jornal O Jogo, o presidente, que assistiu ao sucedido, pediu para falar com o atleta. O presidente do Vitória entende a situação religiosa delicada que o jogador cumpre, mas não aceita que um futebolista possa estar comprometido com a religião e com a competição de maneiras tão díspares, arriscando, sobremaneira, o seu bem-estar. #Futebol