Rui Vitória já está a negociar a sua transferência para a Luz. O Vitória de Guimarães confirmou esta sexta-feira que mantém contactos com o #Benfica para a eventual transferência do treinador. As negociações tiveram início um dia depois de Luís Filipe Vieira ter assumido oficialmente a saída de Jorge Jesus e dois dias depois de se ter ficado a saber que o treinador tinha chegado a acordo com o Sporting, protagonizando uma das transferências mais polémicas de sempre.

O nome de Rui Vitória já não é novo para os lados da Luz. A confirmar-se a transferência, o técnico volta a uma casa que já conhece, depois de ter treinado os juniores dos encarnados entre 2004 e 2006. O nome de Rui Vitória já é falado há alguns meses para substituir Jorge Jesus, caso este deixasse o Benfica no final da época. Vieira ainda tentou a renovação do contrato com o treinador bicampeão, mas a reviravolta com a antecipação do Sporting deitou tudo por terra, terminando com uma relação cordial de seis anos. Um dos motivos apontados para Jesus não querer continuar na Luz foi o eventual pré-acordo de entendimento precisamente entre o Benfica e Rui Vitória.

A mudar-se para Lisboa, Rui Vitória deverá assinar um contrato válido por três épocas e deverá apostar nos jogadores da formação do clube, um pré-requisito essencial para Vieira, que pretende ainda um treinador “comprometido com o clube”, como assumiu no jantar anual com deputados da Assembleia da República. O presidente encarnado não cedeu, assim, à pressão de alguns adeptos que pretendiam que avançasse para a contratação de Marco Silva, em resposta à jogada inesperada do Sporting.

“Parto de consciência tranquila”

Após dois dias de especulação e de silêncio por partes de alguns dirigentes, Jorge Jesus assumiu publicamente esta sexta feira a sua saída do Benfica. “Parto com a consciência de dever cumprido”, disse o treinador, sentindo-se “grato pelo carinho e oportunidade com que fui brindado”.

Jesus diz ainda que viveu na Luz alguns dos “momentos mais felizes e marcantes” do seu percurso profissional, mas relembra que “por cada porta que se fecha, há outra que se abre”. O treinador garante ainda que ofereceu “o melhor ao clube”.