No início do mês, Marco Silva foi despedido do #Sporting. O clube leonino alegou justa causa para o fazer, tendo por base vários conflitos entre o presidente, Bruno de Carvalho, e o agora ex-técnico dos leões. A turma de Alvalade, já sem Marco Silva ao leme, garantiu os serviços de Jorge Jesus, que havia acabado de se tornar bicampeão nacional pelo rival Benfica. O processo que levou ao despedimento do treinador ainda não está resolvido, nem as suas atitudes enquanto treinador do Sporting foram esquecidas pelos responsáveis leoninos.

Esta quarta-feira, em Lisboa, num jantar organizado pelo Grupo Stromp, Bruno de Carvalho terá abordado o "tema do momento" do #Futebol do clube. De acordo com o jornal "Record", que alega ter tido acesso às palavras proferidas pelo presidente do Sporting no dito jantar, Bruno de Carvalho não teve quaisquer problemas em criticar Marco Silva. O responsável máximo dos leões terá mesmo acusado o técnico de "querer passar uma falsa imagem de "santo" para o público e para os adeptos", enquanto internamente agia como um "cínico".

As comparações com o novo treinador, Jorge Jesus, foram inevitáveis. Nesse sentido, Bruno de Carvalho terá ainda afirmado que prefere "a frontalidade aos recados", acusando Marco Silva de seguir somente "uma estratégia e agenda próprias", deixando os interesses do Sporting para segundo plano. Como se não bastasse, o presidente dos leões mandou também um recado aos membros das anteriores direções que, regra geral, se têm manifestado como opositores do atual corpo diretivo. "Quem não tem condições para se dedicar a 100 por cento, não devia ser presidente", referiu.

A relação entre Marco Silva e Bruno de Carvalho começou a azedar em dezembro do ano passado, quando o treinador deixou uma indireta ao presidente, que criticou publicamente a equipa após pesada derrota em Guimarães. Desde então, o atrito entre os dois tornou-se difícil de esconder do público e da imprensa, que muito falou sobre o assunto ao longo dos últimos meses. O Sporting esperou até ao final da época para despedir Marco Silva que, nem mesmo após conquistar a Taça de Portugal, o primeiro título dos leões em sete anos, voltou a cair nas graças dos dirigentes do conjunto de Alvalade.