O Sport Lisboa e #Benfica está em guerra com um dos mais importantes e influentes agentes de jogadores da América Latina. Em causa está Paco Casal, agente de diversos sul-americanos, entre eles Maxi Pereira, que, aliás, foi o epicentro do estalar do mau estar que já há muito existia entre a estrutura do Benfica e o referido empresário. Isto porque neste mercado de transferência Paco Casal tem sido uma dor de cabeça no planeamento da equipa de Rui Vitória para a época de 2014/2015. O empresário sul-americano não só tem sido um obstáculo a Luís Filipe Vieira na questão da renovação do lateral direito uruguaio, como também tem prejudicado as negociações de outros jogadores (como o caso da transferência desejada de Franco Cervi).

A relação complicada entre o clube lisboeta e o empresário é antiga e remonta ao polémico negócio da ida de Cristian 'Cebola' Rodriguez para o FC Porto, após ter estado na época anterior ao serviço das águias. Aliás, segundo declarações de um jornalista na televisão do Correio da Manhã, é devido a esta situação que o empresário tem interesse directo na transferência do defesa uruguaio para o Futebol Clube do Porto, pois se tal acontecer será uma forma de Paco ver satisfeita uma dívida de 1,5 milhões de euros que o clube da invicta tem por liquidar ainda devido ao negócio da ida de Cristian Rodriguez para o clube liderado por Pinto da Costa.

Paco Casal é conhecido no Uruguai como um temível empresário com enorme influência sobre os seus jogadores e os principais clubes do seu país. Segundo informação disponibilizada no site do próprio, contabiliza-se que, ao longo sua carreira como agente desportivo, este tenha participado directamente nas transferências de um total de 600 atletas e indirectamente em cerca de 300. O empresário é conhecido pelos seus hábitos exuberantes e tem na sua carteira de atletas um número significativos de jogadores, com destaque para os principais nomes da selecção do Uruguai, como Godin ou Cavani.

O empresário é apelidado como o 'dono do #Futebol uruguaio', não só por ser um dos responsáveis máximos pelos direitos de transmissão televisiva dos jogos do país, mas porque é muitas vezes ele quem financia os principais clubes do Uruguai, como o histórico Peñarol, quando estes necessitam de equilibrar as suas contas. Mas se a biografia oficial de Paco Casal só dá conta dos êxitos e sucessos de um dos homens mais ricos do país do Sol Celeste, já os seus críticos acusam-no de ter destruído o futebol do Uruguai ao ter construído uma enorme teia de poder à sua volta. O empresário uruguaio, que nasceu no Brasil, é inclusive suspeito de crimes pouco limpos, envolvendo casos de lavagem de dinheiro. Nos últimos dias o seu nome tem sido apontado na imprensa da América Latina, suspeitando-se que esteja envolvido em esquemas de corrupção da FIFA na América do sul.

O poder absoluto é a imagem de marca de Paco Casal, poder, esse, incontestado principalmente pelos jogadores, sendo poucos os que contrariam as suas decisões. Existem inclusive suspeitas de que exerça coacção física e moral sobre estes, como é o exemplo de um episódio relatado pelos média locais, envolvendo um jogador que se incompatibilizou com o Casal e que recusou assinar um contrato com o Benfica e decidir cessar o vínculo contratual com empresário. Por coincidência, poucos dias depois do sucedido a mãe do jovem jogador foi assassinada. Apesar das suspeitas terem caído sobre Casal, nada foi provado.

E assim, quer se goste ou não do seu estilo, a verdade é que Francisco 'Paco' Casal por onde passa deixa marca e, entre ameaças de morte a si e à sua família, mantém um poder quase absoluto nos destinos do futebol e no mundo dos negócios do seu país, ao ponto do Estado uruguaio lhe ter perdoado dívidas fiscais recentemente descobertas. #Mercado de Transferências