Os antigos dirigentes do #Sporting Godinho Lopes, Luís Duque, Nobre Guedes e Carlos Freitas foram absolvidos. O Tribunal da Comarca de Lisboa alegou incompetência, absolvendo os arguidos. Em causa estava uma das três acções judiciais do emblema de Alvalade contra os seus ex-dirigentes. O clube terá agora que pagar as custas do processo, mas tem dez dias para recorrer da decisão.

Na origem do litígio estavam contratos de alguns jogadores, nomeadamente a renovação com Marat Izmailov e as contratações de Jéffren e Alberto Rodríguez. Para os actuais responsáveis do Sporting, os três casos representaram a "violação dos deveres de diligência e falta de racionalidade económica". As acções judiciais foram confirmadas em Outubro do ano passado, considerando os "leões" que Godinho Lopes (ex-presidente), Luís Duque, Nobre Guedes e Carlos Freitas (anteriormente administradores) praticaram acções culposas.

Muito dinheiro em jogo

Na renovação de Izmailov, o Sporting comprometeu-se a pagar mais de cinco milhões de euros durante quatro anos, quando o jogador ainda tinha dois anos de vínculo pela frente. Já Jeffrén foi comprado ao Barcelona por quase quatro milhões de euros, auferindo mais de nove milhões. O problema, segundo a actual SAD leonina, foi a não submissão do atleta aos exames médicos necessários.

O caso de Rodríguez é o mais "barato", tendo custado ao Sporting cerca de 836 mil euros num prémio ao jogador, 492 mil euros pagos à Gestifute (em comissão) e a cedência de 30 por cento dos direitos económicos à sociedade de Jorge Mendes. Na altura em que Rodríguez assinou pelo emblema de Alvalade apresentaria debilidades físicas, mas sem que essas servissem de impedimento à sua contratação.

#Justiça #Futebol

Polémicas no Sporting

Entre este caso judicial, a auditoria em curso, e a situação de Marco Silva, o Sporting tem protagonizado algumas polémicas nos últimos meses. Imune a estes casos e a críticas de notáveis, o presidente, Bruno de Carvalho, mantém-se firme na procura do regresso aos títulos, tendo já assegurado os serviços de Jorge Jesus para treinador nas próximas três épocas.