Sem grandes surpresas, os favoritos confirmaram a sua presença na final. O Chile e a Argentina irão decidir entre si quem sucede ao Uruguai como campeão da competição. A final realiza-se no próximo Sábado, dia 4 de Julho. Antes da final, nesse mesmo dia, realiza-se, entre Peru e Paraguai, o jogo que dita quem ficará em 3º e 4º lugar na edição deste ano. Curiosidade para o fato de todos os selecionadores presentes nestas meias-finais serem argentinos.

O Chile entrou motivado no jogo diante do Peru, apoiado pela fator casa, e ainda mais depois da expulsão aos 20' de Zambrano, por acumulação de amarelos, o que fez com que o treinador do Peru mexesse muito cedo na equipa e alterasse toda a tática ensaiada. Se era expetável uma tarefa complicada para o Peru, este fato aumentou ainda mais o poderio do Chile, que teve em Vargas (jogador pretendido pelo Sporting) o homem do jogo, ao marcar aos 42' (em posição irregular) e aos 64'.

O Peru nunca baixou os braços e tentou ao máximo disputar o resultado final com o Chile, conseguindo mesmo chegar ao empate a uma bola aos 60'. Gary Medel marcou na própria baliza, mas Vargas, como já foi referido, esteve numa noite inspirada, e sentenciou o jogo aos 64' com um golo de belo efeito.

Este jogo ficou marcado pela expulsão, que retirou qualquer capacidade de explosão ao Peru para tentar reverter o resultado nos últimos minutos, apesar de ter conseguido ao longo do jogo equilibrar a balança, e dado uma ótima imagem de crença e luta da sua equipa, que teve Carrilo (jogador do Sporting) em destaque.

No outro jogo das meias-finais, a Argentina entrava como favorita diante do surpreendente Paraguai, que há poucos dias tinha eliminado o Brasil nos quartos-de-final. O Paraguai entrou por isso, confiante, tentando ao máximo pressionar alto e fechar ao máximo os caminhos da sua baliza. Mas as lesões das duas maiores figuras da seleção, Derlis e Roque Santa Cruz, numa fase muito inicial da partida, deram ainda mais favoritismo à Argentina, que aos poucos foi chegando com mais perigo à grande área adversária. Rojo, aos 15', e Pastore aos 27', deram ideia do jogo estar decidido para os argentinos, não fosse Lucas Barrios pensar de forma diferente e aos 43' fazer o tento paraguaio, dando bons sinais para o que poderíamos ver na segunda parte.

Mas a Argentina entrou decidida a resolver cedo o encontro e alguns erros adversários colocaram um fim à esperança dos paraguaios. Di Maria aos 47' e 53', Aguero aos 80' e Higuain aos 83', carimbaram mais uma vitória da seleção albiceleste, desta feita com uma goleada.

#Lionel Messi voltou a não marcar, mas esteve em destaque ao estar nos seis golos argentinos, três deles, com direito a assistência do astro argentino! Garay (ex- Benfica) foi a grande ausência do encontro, por estar com gastroenterite, mas Tata Martino espera contar com o central do Zenit para a final diante do Chile.

A Argentina espera voltar à conquista da #Copa América, algo que não acontece desde 1993. Caso consiga ganhar, a Argentina alcança a sua 15ª Copa América. Do outro lado, o Chile persegue a sua primeira conquista, uma vez que nunca ganhou qualquer troféu.