Pedro Proença assume o comando da Liga de Clubes esta quinta-feira, dia 30 de Julho, pelas 17h00, após receber 32 votos a favor de 12 clubes da I Liga e de oito formações da II Liga. O seu adversário direto, Luís Duque, que estava em funções desde 27 de Outubro de 2014 neste mesmo organismo, apenas arrecadou 23 votos de 6 clubes da I Liga e 11 da segunda. Estes resultados foram dados a conhecer pelo presidente da mesa da Assembleia Geral, José Mendes, após o término da votação de todos os clubes associados da I e II Ligas. O Concelho Fiscal ficou entregue a Carlos Jesus Pinto de Carvalho com 48 votos.

O novo Presidente da Liga de Clubes, Pedro Proença, em declarações aos órgãos de informação, considerou que o resultado das eleições foi "uma vitória de todos os clubes e do #Futebol português". O antigo árbitro português, que tinha terminado a sua carreira em janeiro, regressa assim ao mundo do futebol como dirigente, com o intuito de "unir todos, sem exceção". Aos 44 anos sucedeu na liderança deste organismo, que teve no seu historial como antigos dirigentes João Aranha, Valentim Loureiro, Pinto da Costa, Manuel Damásio, Hermínio Loureiro, Fernando Gomes, Mário Figueiredo e Luís Duque.

Em termos profissionais, Pedro Proença tem no seu palmarés a arbitragem de uma final da Liga dos Campeões, uma Europeia, duas finais da Taça de Portugal, duas relacionadas com a Taça da Liga, três Supertaças e vários clássicos nacionais, sendo eleito, pela Federação Portuguesa de Futebol (FPF), "o melhor árbitro português do século". No total arbitrou cerca de 465 jogos, entre os quais 168 na I Liga Portuguesa e os restantes em competições de âmbito nacional e internacional. Além disso, esteve ainda presente em fases preliminares de competições europeias, mas não conseguiu arbitrar uma final do Mundial de Clubes, como era seu desejo.

Revelou ainda nas suas declarações aos jornalistas que só o trabalho conjunto poderá melhorar o futebol nacional e que será "o presidente de todos os clubes, sem exceção".