A apresentação dos equipamentos das equipas portuguesas costuma ser um dos pontos de interesse no Verão #Futebolístico. A par das notícias de contratações de jogadores, de entradas e saídas de treinadores, boatos e confirmações, as camisolas a utilizar pelos jogadores na nova época são tema para muita discussão de café. Há sempre os mais arrojados, que apostam em novas cores ou desenhos, aqueles mais contidos, que respeitam a tradição e até os que não têm muito por onde inventar. Equipas como Vitória de Guimarães, Académica, Belenenses ou #Benfica, pela simplicidade das suas camisolas, não podem fugir ao trivial, reservando para pequenos pormenores o destaque anual. Normalmente, nestes clubes, a maior dose de ousadia aparece na versão alternativa.

Mas há também aqueles clubes que já nos habituaram ao choque. O FC Porto é um deles. Normalmente os dragões apostam numa versão diferente da camisola principal, sempre listada, mais grossa ou mais fina, mas é no segundo equipamento que costumam surpreender. Para a nova época não fugiram à tradição e mostraram uma inédita camisola castanha.

Há também o Boavista, cuja camisola axadrezada é sempre das mais difíceis de trabalhar. Noutros anos conseguiu ser mais inovador, mas para a nova época a pantera surge com uma pele com menos imaginação. O Sporting mantém a tradição, não só nas listas horizontais, como na recente opção de não usar os calções pretos. Aliás leões e panteras quebram o estipulado nos seus estatutos, pois o Boavista deveria recorrer a calções brancos.

De resto, destaque para as camisolas do estreante Tondela, que irão desfilar pela primeira vez nos relvados primodivisionários.

Relativamente a marcas, o FC Porto trocou para a New Balance, o Benfica mantém a Adidas, tal como o Sporting. O Arouca mantém a Macron e o Boavista a Errea. V. Guimarães, Académica e Marítimo estão com Nike; V. Setúbal, Estoril e Nacional com a Hummel. A Lacatoni veste Rio Ave, União, Sp. Braga, Belenenses e Paços de Ferreira, enquanto que a CDT equipa Tondela e Moreirense. #F.C.Porto