O Valência, de Nuno Espírito Santo, ganhou ao Mónaco, de Leonardo Jardim, por 3-1, no primeiro jogo do ‘play-off’ de acesso à fase de grupos da Liga dos Campeões. A equipa Che parte com uma vantagem confortável para a segunda partida do apuramento, desta vez em casa dos monegascos. Porém, quando falamos num dos jogos mais importantes deste ‘play-off, não podemos deixar de falar numa pessoa concreta. Não é um treinador, nem é um jogador, nem um dirigente, mas sim um empresário: Jorge Mendes.

Para muitos escolher qual a equipa que vai apoiar num jogo é fácil, mas que poderá dizer Jorge Mendes? O empresário conta com dezasseis jogadores no conjunto das duas equipas. Porém, além de Jorge Mendes, há ainda um outro factor comum na venda de alguns destes jogadores: sete foram vendidos pelo Sport Lisboa e Benfica. O que não é de estranhar visto a boa relação do empresário com o clube encarnado. Outra curiosidade? As ‘odes’ estão empatadas. Oito jogadores foram negociados com o Mónaco, oito jogadores foram negociados com o Valência.

Ora vejamos, do lado da equipa espanhola contamos com o jovem Rúben Vezo, que chegou ao Valência vindo do Vitória de Setúbal; Rodrigo, o avançado hispano-brasileiro rendeu 30 milhões de euros ao clube da Luz depois da transferência conjunta (total de 45 milhões) com o médio português André Gomes; o atacante Santi Mina, que veio do Celta por um valor de 10 milhões de euros; João Cancelo, proveniente das ‘águias’ tal como internacional argentino Enzo Pérez, rendeu 25 milhões aos cofres dos encarnados; e ainda com o avançado belga Bakkali e, por fim, com Danilo Barbosa, vindo do Sporting de Braga.

Pela equipa francesa o empresário conta com o lateral-direito Fabinho, proveniente do Rio Ave, e com Ricardo Carvalho, defesa-central português, de 35 anos, vindo do Real Madrid; Wallace defesa cedido pelo Sporting de Braga; Ivan Cavaleiro e Bernardo Silva ambos vindos do Benfica e comprados por cerca de 15 milhões de euros cada um; o médio João Moutinho, contratado ao F.C. Porto por 25 milhões de euros; Hélder Costa, jovem extremo também cedido pelos encarnados; e, por último, Echiéjilé, lateral esquerdo nigeriano contratado ao Sporting de Braga.

Dois clubes que valem milhões de euros. O plantel do Valência, segundo dados do Transfermarkt, vale cerca de 270 milhões de euros, já o do Mónaco tem um valor a rondar os 136 milhões. Os jogadores de Jorge Mendes (agenciados pelo empresário ou da qual este foi intermediário na transferência) valem cerca de 149,5 milhões de euros. Assim, o 'super agente' ficará prejudicado seja qual for a equipa que fique pelo caminho, já que não verá alguns dos seus jogadores valorizados na Liga dos Campeões. 

Mas quer saber ainda outra curiosidade? Nos anos 90, Nuno Espírito Santo foi o primeiro jogador agenciado pelo agente. O empresário continua, no entanto, a cuidar da carreira do técnico, que saiu do Rio Ave para o Valência no ano passado.

Novas aquisições

Jorge Mendes 'adquiriu' recentemente novos talentos. Segundo o jornal 'O Jogo', Victor Andrade, Nélson Semedo e Bilal Ould-Chikh são os mais recentes jovens do Benfica representados pelo agente. É sabido que o empresário tem uma 'parceria estratégica' com o emblema da Luz e já representava alguns dos jogadores dos encarnados como Lindelof, Gonçalo Guedes e João Teixeira. #Mercado de Transferências