O #Benfica vai manter Júlio César no seu plantel pelo menos até 2018, na sequência do acordo de renovação de contrato que deve ser assinado neste mês, segundo notícia do diário A Bola. O entendimento surge na sequência das boas exibições registadas nesta época, tal como tinha acontecido na temporada transacta, sendo, portanto, um dos elementos mais influentes do sector defensivo das águias. Em 2015/2016 Júlio César já regista nove partidas sempre como titular, tendo em consideração os jogos da Supertaça de Portugal, I Liga e a Liga dos Campeões. No campeonato português sofreu quatro golos, registo que ninguém supera e é partilhado com FC Porto, Sp. Braga e União da Madeira. Em relação à principal competição entre clubes europeus, encaixou um golo na visita a Madrid, mas não deixou de ser importante na vitória do Benfica por 2-1 diante do Atlético local.

Regresso de luxo

Júlio César tem 36 anos, mas o "peso" da idade não se reflecte nas suas actuações. O Benfica permitiu-lhe voltar a viver momentos brilhantes, depois de duas épocas afastado das luzes da ribalta, em representação do QPR, histórico clube inglês, antes de estranhamente ter ingressado no Toronto FC, do Canadá. Este ocaso aconteceu após momentos de glória vividos em Itália, com a ligação de oito temporadas ao Inter Milão, embora na primeira época tenha sido emprestado ao Chievo. A época 2009/2010 é uma das mais memoráveis, com a conquista dos títulos de campeão europeu, italiano e da Taça de Itália, sob a batuta de José Mourinho.

Craque no Flamengo

Júlio César chegou ao emblemático Flamengo apenas com 11 anos, impôs-se como profissional durante sete temporadas e sobressaiu com as conquistas de três campeonatos cariocas, uma Copa dos Campeões, além da Taça Mercosul, antes de ingressar no futebol europeu. Internacional brasileiro, o guarda-redes foi terceiro guarda-redes no Campeonato do Mundo de 2006, na Alemanha, disputou os Mundiais de 2010, na África do Sul, e de 2014, em casa, e ficou ligado à surpreendente goleada sofrida diante dos alemães: 1-7 foi o resultado final, o que não impediu Júlio César de mostrar que tem capacidade para reagir aos momentos mais adversos. #Primeira Liga Portuguesa