Os golos de rabona começam a ser frequentes, mas este está a outro nível. Anton Egholm é o protagonista de uma jogada que só os homens de sangue frio, com uma grande coragem e uma pitada de loucura, realizam. O jogador deixou o guarda-redes para trás acabando por isolar-se. No entanto, não atirou a bola para o fundo da baliza. Egholm recebeu a bola no meio campo adversário, fintou o guarda-redes e, depois de ficar com a baliza completamente escancarada, preferiu esperar e deixar a defesa turca reorganizar-se. Depois, com uma pontaria afinada, remata para o ângulo superior direito da baliza marcando um golo magnífico.

Anton Egholm, que ainda frequenta o liceu, foi chamado a comentar a jogada encarando o momento de forma bem-humorada. Em declarações ao jornal dinamarquês Metroxpress, o futebolista confessou que o golo não se deveu a pura sorte mas sim ao puro talento.

O jogador dos escalões sub-19 marcou um golo lendário durante um jogo amigável entre o seu clube, o FC Holte, equipa das ligas inferiores da Dinamarca, e os turcos do Manavgatspor. A equipa de Anton Egholm ganhou por 3 bolas a 0 com um golo que ficará na memória do jovem. O golo fantástico do futebolista dinamarquês avançado de 19 anos está a tornar-se viral nas #Redes Sociais.

Aqui fica o vídeo do golo para ver e rever:

 

Golos de "rabona" (ou letra)

No mundo do #Futebol, os golos de rabona levam qualquer adepto à loucura. Os brasileiros preferem dizer “passe de letra” ou “golo de letra” (expressão também utilizada de forma corrente em Portugal). 

Parece um gesto simples, mão não é. As pernas entrelaçam-se, como se estivessem num bailado, e é o pé contrário que toca na bola. Para muitos, o gesto pode ser visto como brincadeira ou tentativa de humilhar o adversário, mas a verdade é que muitos jogadores batem melhor na bola assim, marcando golos de levantar o estádio.

Diego Maradona, antigo jogador da Argentina, Érik Lamela, um canhoto do Tottenham, Angel Di María, atual jogador do Paris Saint-Germain, e também Mário Jardel, célebre ponta-de-lança do FC Porto e do Sporting CP, são alguns nomes de jogadores que recorreram a este gesto mágico que, em muitos dos casos, acabam em golos que ficarão para a história do futebol.