Depois do escândalo "Football Leaks" (que ainda está para durar), surge nova polémica no #Futebol português. Desta vez pela voz do presidente do Sporting, Bruno de Carvalho. O presidente leonino acedeu a participar no programa televisivo da TVI24, Prolongamento, na última segunda-feira, dia 5, e o que se seguiu está a dar '"pano para mangas" para os dias seguintes. O #Benfica foi o alvo privilegiado de Bruno de Carvalho, que acabou por levantar um interessante debate sobre as ofertas com que os clubes brindam os árbitros antes ou depois dos encontros. 

O presidente do #Sporting acusou o Benfica de gastar, em ofertas para árbitros, um valor superior a 250 mil euros. Com uma caixa na mão, com motivos alusivos a Eusébio, o presidente do Sporting apresentou a suposta caixa de ofertas que o Benfica entrega aos árbitros de cada jogo. Para Bruno de Carvalho, as ofertas do Benfica nos dias de jogo dão para jantares de "500 a 600 euros". Tudo isso para quatro árbitros, dois delegados e um observador de jogo. Ou seja, no final de uma época, serão "40 os jantares", num valor que poderá ascender aos 250 mil euros, segundo avançou Bruno de Carvalho. 

Apesar das revelações polémicas, falta agora a confirmação do que foi dito pelo presidente do Sporting. E pode mesmo haver lugar a um inquérito do Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) para investigar a veracidade das afirmações de Bruno de Carvalho, segundo avança o jornal O Jogo

A Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol (APAF) está também a analisar e a recolher informações sobre este caso mas, para já, pede para que "provem" essas acusações, segundo declarações de Fontelas Gomes, o líder da APAF, ao jornal O Jogo, que revela que os árbitros seguem as indicações da UEFA quanto a ofertas de clubes. 

Ora, para a UEFA as regras são muito simples e os árbitros não podem receber ofertas de valor superior a 183 euros. Caso um clube ofereça mais do que isso, o árbitro deverá notificar a UEFA de uma tentativa de suborno da parte do clube, como se pode ler no Códido de Ética da UEFA

O jornal Record publica nesta quarta-feira, dia 7 de Outubro, as ofertas com que os clubes portugueses costumam brindar os árbitros nos dias de jogo. O FC Porto oferece apenas "alimentação básica e água", enquanto o Sporting ainda acrescenta uma "camisolinha" do clube. E a cortesia dos clubes não passa muito disto: alimentação, bebidas e, alguns deles, uma camisola alusiva ao clube. Os árbitros que visitem alguns clubes terão é uma mesa mais farta... Por exemplo, o Belenenses oferece os tradicionais pastéis de Belém, enquanto o Arouca disponibiliza pão-de-ló e o Nacional da Madeira bolo de mel.

Que vos parece esta polémica: Será esta uma tentativa de suborno do Benfica aos árbitros? Ou estará Bruno de Carvalho a levantar falsas polémicas? Deixem-nos as vossas opiniões nos comentários abaixo.