Esta terça-feira, 22 de Março, o Fórum Luísa Todi, em Setúbal, foi palco de uma homenagem sentida ao antigo treinador de futebol Quinito, que se afastou do mundo desportivo após a morte do filho. O antigo dirigente deslocou-se ao local, a pedido de Henrique Calisto e da Associação Nacional de Treinadores de Futebol, para reencontrar-se com velhos amigos e colegas de trabalho.

Antigo treinador do Vitória de Setúbal, Vitória de Guimarães, FC Porto, Estrela da Amadora, entre outros, Quinito foi apresentado por Henrique Calisto como alguém que "transformava o mundo do futebol. Quinito, eu sei que houve uma tragédia, mas não nos deixes órfãos. O futebol precisa de ti. Peço uma grande salva de palmas para que ele volte ao futebol", terminou assim a sua homenagem.

O antigo técnico falou, num discurso emotivo, sobre as razões que o levaram a afastar-se do futebol e do sentimento de culpa que carrega até hoje devido aos "ossos do ofício". “O futebol saiu-me caro”, disse. “É difícil. Passo por uma situação complicada. Um sentimento de culpa, nós, os que andámos no futebol tantos anos, vivíamos o futebol 24 horas, estávamos fora de casa, longe de casa, não víamos crescer os filhos. Eu não vi crescer os meus”.

Embora tenha afirmado que está a tentar "chutar a bola para a frente", Quinito sente que ainda está a perder "50 a zero" na vida, pois de nada valeu o que ganhou ou perdeu. No entanto, afirmou que vai "tentar tirar dessa derrota alguma situação para tentar ir a prolongamento ou penáltis”.

Por causa do futebol, o antigo dirigente não teve oportunidade de conviver mais tempo com os filhos. “Não ouvi pela primeira vez o meu filho a dizer ‘pai’. Não o vi pela primeira vez a aprender a nadar. Não vi pela primeira vez a aprender a andar de bicicleta. Não o abraçava todos os dias, passavam-se meses que não o abraçava. E ele não está cá, foi-se embora. Não foi fácil, é difícil ter um filho e não o conhecer.", reconheceu 'Quinas'.

Após emocionar toda a plateia, que o aplaudiu de pé, Quinito agradeceu aos amigos que o ajudaram a ultrapassar os momentos mais difíceis - a morte do filho num acidente de viação no Brasil em 2011.

Também José Mourinho, o antigo futebolista José Augusto e o treinador de futebol de praia Mário Narciso, foram homenageados pela associação. #Personalidades