As guerras de palavras entre João Gabriel, ex-director de comunicação do #Benfica, e Bruno de Carvalho, presidente do #Sporting, não são novas, por norma nas redes sociais, e continuam mesmo depois da época já ter acabado. 

Após anunciar o abandono do cargo no clube da Luz, João Gabriel deu uma entrevista ao jornal Record -onde abordou vários temas - e voltou a deixar algumas 'farpas' ao presidente da equipa de Alvalade, defendendo que os seus tweets não se compararam com os posts de Bruno de Carvalho no Facebook e garantindo que não "vulgarizou" a sua palavra.

"Eu não sou presidente do Benfica, sou responsável pela comunicação do clube. Depois, comparar os meus tweets com os posts do presidente do Sporting é comparar música clássica com música pimba...", destacou o responsável pela comunicação dos encarnados, revelando que recebe várias mensagens dos adeptos do clube sobre as 'picardias' com Alvalade, mas que é impossível chegar a um consenso sobre se a equipa da Luz deve ou não responder aos leões. 

Além disto, João Gabriel defendeu ainda que a estratégia de comunicação utilizada pelo Sporting não foi a mais eficiente, sublinhando que houve alguns momentos em que não se sabia se quem comandava era presidente ou o treinador, Jorge Jesus. 

Quem também não escapou às críticas foi o técnico leonino, e antigo treinador do Benfica, que trocou de clube no início da época passada. O director de comunicação das águias defendeu que tinha ajudado na longevidade de Jorge Jesus no comando encarnado, onde esteve durante seis anos, mas que esta se deveu maioritariamente a Luís Filipe Vieira, presidente do clube da Luz. Além disto, sublinhou também que o técnico teve todo o apoio enquanto permaneceu no Benfica, garantindo que estiveram "com ele e por ele contra tudo e contra todos". 

Por último, foi a vez de as atenções se virarem para o rival do Norte, o FC Porto - que não ganhou nenhum título nos últimos três ano. O antigo jornalista e assessor de Jorge Sampaio na Presidência da República destacou que a liderança de Jorge Nuno Pinto da Costa é frágil e que está alicerçada no passado, já que os sócios dos dragões têm respeito pelo trabalho que o presidente fez durante 30 anos e não pela sua actual capacidade. Para provar o seu ponto de vista, João Gabriel sublinhou que nunca pensou ver a "subserviência que o FC Porto teve no final da época para com um clube de Lisboa" , sendo que "a bajulação de um líder do FC Porto ao Sporting seria algo impensável nos bons tempos de Pinto da Costa".

Além disto, João Gabriel criticou também a comunicação dos dragões, garantindo que esta se mantém a mesma ao longo dos últimos 30 anos, baseando-se numa luta incessante contra a capital de Portugal. Assim, o antigo director de comunicação das águias não se inibiu de deixar uma farpa ao rival: "Como se tivesse sido Lisboa a contratar Lopetegui e a dar-lhe plenos poderes durante quase três anos", apontou.

De referir que João Gabriel foi director de comunicação do Benfica desde maio de 2008, altura em que Luís Filipe Vieira cumpria o seu segundo mandato na liderança dos encarnados. #F.C.Porto