Depois da Argentina ter perdido mais uma final da Copa América, #Lionel Messi decidiu colocar um ponto final na sua carreira ao serviço da seleção argentina. A notícia caiu que nem uma bomba no mundo do futebol tendo o jogador argentino anunciado a sua decisão poucas horas depois do término da final da Copa América Centenário referindo. Messi não conseguiu ser decisivo na final como foi em outros jogos desta competição e chegou mesmo a falhar uma grande penalidade frente ao Chile no desempate pelo mesmo sistema. No entanto, é de relembrar que ao serviço da seleção argentina Messi foi campeão olímpico em 2008 e venceu o Mundial de sub-20 em 2005.

Aos 29 anos de idade, o astro argentino não aguentou mais uma desilusão tendo perdido a sua quarta final de uma grande competição de seleções, três a contar para a Copa América e uma a contar para o Mundial. Na Copa América, Messi perdeu a final de 2007 para o Brasil com um resultado de 3-0 e perdeu duas finais seguidas para o Chile no desempate por grandes penalidades nas edições de 2015 e 2016, nesses jogos os resultados ao fim de 120 minutos eram idênticos, empate a zero bolas. Em termos de mundiais, a sua seleção foi derrotada pela Alemanha no Mundial de 2014 por 1-0.

Em declarações à comunicação social Messi refere que é um momento muito duro para ele e para os seus colegas após mais uma desilusão. O astro argentino refere que queria muito dar um título à seleção do seu país, mas sai sem o conseguir, foram estas as palavras de Lionel Messi antes de terminar a sua declaração à comunicação social visivelmente emocionado e em lágrimas.

Chega assim ao fim uma carreira ao serviço da seleção argentina que contou com 113 jogos realizados e 55 golos marcados. O jogador vai agora concentrar todas as suas atenções ao serviço do Barcelona onde já conquistou vários títulos. No total são oito Ligas Espanholas, quatro Taças do Rei de Espanha, seis Supertaças Espanholas, quatro Champions League e três Mundiais de Clubes. A nível individual, Messi já conquistou cinco bolas de ouro da FIFA (2009, 2010, 2011, 2012 e 2015).