O encontro principal da 9ª jornada da Liga Inglesa colocou frente a frente o Manchester United e o #Chelsea, num confronto já de si apetecível, mas com dois factos que ajudavam a aguçar ainda mais a curiosidade: nenhuma das duas equipas conseguiu vencer um candidato ao título na presente temporada e ainda o regresso de #José Mourinho ao estádio que o consagrou como um dos melhores treinadores do mundo.

Já dizia o velho ditado que "nunca se deve voltar ao sítio onde foi feliz" e Mourinho confirmou isso mesmo ontem. Com apenas 30 segundos de jogo, o Chelsea mostrou que queria continuar a senda vitoriosa em casa. Alonso, na esquerda, recebeu a bola, colocou para a corrida de Pedro que, perante a passividade de Smalling, contornou De Gea e colocou a bola no fundo da baliza dos reds.

Stamford Bridge estava ao rubro, enquanto José Mourinho olhava para o campo incrédulo com o que estava a acontecer.

Seria de esperar uma reacção dos "Red Devils", mas foram os da casa que assumiram o controlo do jogo. Num 3x5x2 muito característico, a equipa de Antonio Conte ia dominando um Manchester United sem soluções ofensivas e com uma excessiva dependência de Zlatan Ibrahimovic.

Foi sem surpresa que o segundo golo dos "blues" chegou, e numa jogada representativa daquilo que foi a partida: 22 minutos de jogo, canto batido na direita, muita confusão entre os defesas do United; Cahill, o mais esclarecido, aproveita a oportunidade para empurrar a bola para o fundo da baliza.

Chegou o intervalo com um 2-0 no marcador e a imagem de José Mourinho, sentado num banco de suplentes que lhe é familiar, a tentar escrever num papel indicações para um equipa claramente desnorteada.

Segunda parte para esquecer

A segunda parte trouxe Juan Mata para o jogo, mas nem o criativo espanhol foi capaz de conferir algum fio de jogo ao Manchester United.

Tudo ficou pior quando aos 62 minutos Eden Hazard, que fora tão criticado por José Mourinho na época passada, mostrou todo a sua magia e marcou um golo cheio de classe e técnica. Estava feito o terceiro do Chelsea e a vitória dos blues parecia cada vez mais certa.

O golpe final foi dado pelo "pequeno" Kanté, aos 70 minutos. Numa altura em que o jogo se encontrava numa fase de parada e resposta, o médio francês, ex-Leicester, foi à área do United fintar dois defesas antes de colocar a bola no fundo da baliza de David de Gea.

Estava assim consumada a quarta derrota de José Mourinho ao serviço do Manchester United.

Não está com vida fácil o treinador português, que ao fim de nove jogos encontra-se no sétimo lugar da Liga Inglesa, a seis pontos do trio de líderes composto Manchester City, Arsenal e Liverpool. #Premier League