Num jogo em que ambas as equipas tinham a obrigação de procurar a vitória e os respectivos 3 pontos para continuarem aspirar a passagem aos oitavos-de-final da Liga dos Campeões, foi o Sport Lisboa e Benfica que entrou mais forte, enfrentando um bloco muito baixo da parte da equipa ucraniana, que veio à Luz claramente com o intuito de defender bem, enervar o seu adversário e explorar o contra-ataque e os lances de bola parada. Resultaram daqui poucas oportunidades reais de golo por parte de qualquer uma das equipas.

Curiosamente, a equipa ucraniana, nas suas saídas de bola, procurou sempre sair com passe curto, através de passes do seu guarda-redes para os centrais. Uma situação aparentemente não muito bem trabalhada, revelando sérias dificuldades do guarda-redes Rudko em jogar com os pés.

O #Benfica não soube aproveitar muito bem essa situação, pois não procurou pressionar muito à saída da área do adversário; fê-lo a espaços, criando sempre embaraços ao Dínamo, mas ficou a ideia que se o fizesse mais vezes poderia ter daí tirado alguns dividendos.

Acabou o Sport Lisboa e Benfica por beneficiar de um penálti claro provocado pelo central Vida sobre Luisão, que Salvio não desperdiçou. O argentino já marca há três jogos seguidos!

Saiu assim em vantagem para o intervalo a equipa portuguesa. Diga-se que merecedora de tal, pois foi a única que o fez por merecer nos primeiros 45 minutos.

Na segunda parte o Benfica procurou dominar a partida, talvez já pensando no clássico com o FC Porto, permitindo à equipa do Dínamo crescer um pouco no jogo, até conquistar um penálti cometido desnecessariamente por Ederson. Emendou-se o jovem guarda-redes brasileiro e defendeu um remate não muito bem colocado desferido por Junior Moraes.

Individualmente de destacar a má noite de Mitroglou, algo trapalhão, tanto a concretizar como a servir os seus companheiros e uma bomba do jovem Gonçalo Guedes à trave, numa noite esforçada, mas também não muito inspirada.

Ao minuto 59, uma entrada brutal e desnecessária de um jogador ucraniano deitou por terra o trinco benfiquista Fejsa, prontamente substituído por Samaris. Esta terá sido sem dúvida a pior notícia para a nação benfiquista, pois não existe neste atual plantel do Benfica um jogador com as características do sérvio. Este tem sido um pêndulo no meio campo benfiquista, equilibrando a defesa e dando liberdade aos jogadores mais avançados.

Nota final para os mais de 50.000 adeptos presentes no Estádio da Luz que, incentivados pelas duas claques afectas ao Benfica, procuraram sempre apoiar a equipa nesta conquista de mais 3 pontos e do tão necessário milhão e meio de euros referente à vitória nesta prova. #Liga dos Campeões