O encontro ocorrido na passada sexta-feira, 10 de fevereiro, colocou frente a frente o actual líder do campeonato com o décimo classificado. O #Benfica tinha como principal objectivo vencer (o que viria a acontecer com o resultado de 3-0) e assim manter-se em primeiro lugar com pelo menos um ponto de avanço do FC Porto, que jogou posteriormente. Já o #Arouca poderia descer na tabela classificativa um lugar. O Estádio da Luz acolheu perto de 50 000 pessoas que.

1.ª parte

O Benfica entrou muito forte na partida, com recuperações de bola ainda no meio campo do Arouca, que assim teve muita dificuldade em jogar no terreno todo e ficou submetido ao seu meio campo.

Publicidade
Publicidade

O primeiro aviso encarnado surgiu após cruzamento de Zivkovic, que foi desviado por Nuno André Coelho para a barra da baliza de Bolat, que não tinha defesa possível. Após um minuto, foi Luisão que testou as capacidades de Bolat, guarda redes húngaro, emprestado pelo FC Porto ao Arouca.

No minuto 25 surge um cruzamento de Jonas e a finalização de cabeça de Mitroglou que coloca alguma justiça no marcador. Aos 35 minutos, arrancada de Eliseu que serviu de bandeja Mitroglou, que não se fez rogado e bisou na partida.

Depois surgiram duas ocasiões de golo para a turma arouquense por intermédio de Mateus, ambas negadas pelo guarda redes brasileiro Ederson. Ao minuto 43 surge o caso do jogo, após o choque entre Mateus e Ederson, com o guarda redes brasileiro a atingir o avançado angolano, após ter pontapeado a bola.

Publicidade

O árbitro Manuel Mota deixa seguir o lance, mas após indicação do árbitro auxiliar é assinalado livre direto e ordem de expulsão ao guardião do Benfica, ação muito contestada. Com a expulsão de Ederson, o técnico Arnaldo Teixeira (substituto de Rui Vitória, que estava de castigo até este jogo) fez entrar Júlio César para o lugar de Mitroglou. Chega o intervalo para refrescar os ânimos.

2.ª Parte

A abrir a segunda parte, excelente jogada do ataque encarnado, tudo ao primeiro toque, para uma finalização de classe de Carrillo, que com um toque subtil fez a bola passar sobre o guarda redes do Arouca. Melhor entrada não podia ter tido o Benfica, e quando se esperava uma reação do Arouca a jogar contra 10, o Benfica mata praticamente o jogo. Até ao final, o Arouca bem tentou acercar-se da baliza encarnada, mas sem resultados.

Mesmo com 10, o Benfica conseguiu sempre posicionar-se no terreno de jogo para que a diferença numérica não fosse muito notada. Tal exigiu aos jogadores maior disponibilidade física, e com um jogo importante para a Champions esta terça-feira, veremos se este esforço não será pago.

Publicidade

Notas finais

Carrillo fez o melhor jogo de águia ao peito, revelando que já se encontra mais próximo daquilo que pode oferecer a esta equipa encarnada.

Manuel Mota fez um jogo tranquilo, manchado por duas decisões algo controversas: a expulsão de Ederson, por indicação do auxiliar, e um pretenso penalti pedido pelos da casa após corte com o braço de um defesa do Arouca.

Lito Vidigal fez nesta sexta-feira a última partida pelos arouquenses, antes da partida para Israel, onde irá treinar o Maccabi Telavive. #Primeira Liga Portuguesa