Está assim cumprido o primeiro passo dos três grandes no que à #Taça de Portugal diz respeito. Com maior ou menor dificuldade, foi passado com sucesso o primeiro obstáculo naquela que irá ser uma maratona complicada até chegar à derradeira final do Jamor. No entanto, não era expectável outro desfecho que não a vitória das três grandes equipas portuguesas, até porque nesta fase geralmente encontram-se conjuntos de divisões inferiores e, portanto, o nível de competitividade não se compara aquele que é jogado na Primeira Liga.

Por norma, é nesta eliminatória que se dá o verdadeiro sentido à famosa expressão "festa da taça", onde a alegria de receber uma grande equipa nacional se instala numa pequena população.

Publicidade
Publicidade

Para além disso, trata-se de um grande evento desportivo que automaticamente irá trazer grandes receitas económicas à comunidade visada, bem como a transmissão televisiva que leva o nome daquela cidade/vila a todos os cantos nacionais. Assim, todos os preparativos começam a formar-se com dias, ou até semanas, de antecedência para que tudo corra de acordo com o que é esperado, fazendo com que o evento principal da bola seja o destaque de todo o processo.

Oleiros recebeu Sporting

Neste campo enquadra-se a equipa da vila de Oleiros que, nesta edição, foi a única formação do 3.º escalão nacional a ter a honra de receber um conjunto da Liga NOS no seu estádio (uma vez que o Lusitano de Évora e o Olhanense jogaram em estádios emprestados). De parabéns está a direção da Associação Recreativa de Oleiros, que conseguiu, em tão pouco espaço de tempo, cumprir todos os requisitos necessários para que o jogo com o #Sporting fosse realizado na sua vila.

Publicidade

Logicamente que eliminar uma grande instituição como o Sporting se tratava de uma missão (quase) impossível e ninguém estaria à espera que tal feito viesse a acontecer, sendo também por isso uma oportunidade e um privilégio para todos os jogadores partilharem um relvado com grandes atletas do panorama nacional. No que toca ao resultado, poderemos dizer que a superioridade dos leões se traduziu em todos os aspetos do jogo, não dando a mínima hipótese de reação à equipa da casa que acabou por sofrer quatro golos. Ainda assim, é justo referir que o Oleiros conseguiu introduzir a bola dentro da baliza de Salin por duas ocasiões, levando os adeptos da casa ao delírio, naquela que foi uma noite inesquecível para todos os oleirenses.

FC Porto afasta Lusitano de Évora

Se por um lado a comunidade de Oleiros ficou orgulhosa com o feito alcançável, talvez a população de Évora não tenha ficado tão agradada como inicialmente seria de esperar. Obviamente que o resultado do sorteio da 3.ª eliminatória da Taça de Portugal foi agradável do ponto de vista económico e social, levando a população a acreditar que iria ver uma grande equipa nacional jogar em solo alentejano ao fim de meio século, mas várias circunstâncias não foram favoráveis ao desejo de todos e infelizmente a sorte não bateu à porta daquela comunidade.

Publicidade

Assim, por questões de ordem judicial, económica e até mesmo política, a realização do jogo que colocava o Lusitano de Évora frente ao FC Porto teve de ser transferida para o Estádio do Restelo, em Belém.

Inicialmente a notícia não foi recebida da melhor maneira por todos os alentejanos e previa-se mesmo um desastre autêntico para a direção do Lusitano, que não iria ver o retorno económico desejado, mas poderemos dizer que este foi um daqueles contratempos que acabou por ser o mal menor de todo o processo. É que contra todas as expectativas, a população alentejana respondeu positivamente ao apelo feito pelo seu clube, fazendo uma larga viagem para testemunhar ao vivo um dos jogos mais importantes da sua história. Assim, a festa foi pautada com mais alegria e animação, dando ainda mais cor ao espetáculo do futebol. No que toca à atração principal, de referir que o jogo foi completamente controlado pelos Dragões, que desde cedo deram uma amostra de que não tinham ido ao sul para brincar. A história deste encontro não tem assim muitas páginas escritas, uma vez que a partida foi de sentido único, traduzindo-se assim numa superioridade portista que acabou com o resultado em 0-6.

Benfica derrota Olhanense no Algarve

Por último, e com a mesma contrariedade do Lusitano GC Évora, a formação do Olhanense teve de ver o seu jogo ser disputado no Estádio do Algarve. Logicamente que estas decisões não agradam a ninguém, e muito menos a clubes com orçamento baixos que veem aqui uma enorme oportunidade de gerar uma receita significativa que pode ajudar muito os cofres do clube. Infelizmente, por questões de segurança e de medidas apertadas de leis, os clubes que não conseguem ultrapassar este tipo de obstáculos têm de se deslocar para outros recintos para assim conseguirem realizar um jogo desta importância. Com isto, a direção do Olhanense teve de estudar formas alternativas de efetuar este encontro contra o Benfica e a solução encontrada passou pelo Estádio do Algarve, que não sendo relativamente perto de Olhão está introduzido na região do Algarve. Também neste encontro o apelo feito aos adeptos do Olhanense veio traduzir-se num enorme sucesso, fazendo com que o estádio recebesse cerca de 10 mil espectadores.

Poderemos também dizer que a emoção das bancadas se transportou para o terreno de jogo, onde o espetáculo da bola se fez sentir nos 90 minutos. Isto porque se tratou de um jogo onde o resultado esteve em aberto até ser dado o apito final do árbitro, dando esperanças aos algarvios de que aquele encontro poderia ter ido a prolongamento.

A partida até começou melhor para as águias, que conseguiu mesmo chegar ao golo com um lance de génio saído da cartola de Gabriel Barbosa. Mas num momento em que se pensava que o Olhanense iria tremer e sair goleado daquele encontro, a equipa não se deixou intimidar e chegou mesmo a ameaçar o golo na baliza do estreante Svilar. No entanto, tal feito não se concretizou e, com maior ou menor superioridade, a verdade é que os encarnados conseguiram o passaporte para a próxima fase da Taça de Portugal, ganhando assim o direito a ser uma das equipas que ainda pode lutar pela vitória final nesta competição. #F.C.Porto