Há um novo super-herói na Índia, um país que tem sido notícia pelos elevados casos de agressões sexuais a mulheres. Ou melhor, uma super-heroína. "Priya's Shakti" ("A Shakti de Priya", em versão portuguesa) é uma banda desenhada que conta a história de Priya, uma jovem que foi vítima de violação, mas que lutará para defender outras mulheres deste crime com a ajuda dos poderes da deusa Parvati e de um tigre. A história pretende ser uma manifestação contra "a patriarquia, a misoginia e a indiferença", advogando valores como "o amor, a criatividade e a solidariedade".

A banda desenhada foi desenvolvida pela editora e produtora de filmes Rattapalla, fundada por Ram Devineni, e pensada essencialmente para adolescentes.

Publicidade
Publicidade

Devineni descreve a protagonista da história como "uma nova heroína para a Índia moderna". A banda desenhada narra a vida de Priya, uma jovem indiana que sonhava tornar-se professora, mas que vê o seu sonho barrado, à medida que o pai a proíbe de frequentar a escola. Um dia mais tarde, Pryia é violada e, como tal, expulsa da família. É então que a deusa Parvati (idolatrada pela jovem) encoraja a protagonista a divulgar uma nova visão da sociedade - na qual as mulheres sejam respeitadas e tenham direito a defender-se e em que todas as crianças tenham direito à educação. É o que Pryia fará ao regressar à sua aldeia natal, montada num tigre.

O projecto surge numa altura em que os casos mais violentos de agressões sexuais a mulheres na Índia têm sido divulgados também nos média ocidentais e sensivelmente dois anos depois de uma jovem estudante de medicina ter morrido devido às agressões e ferimentos que sofreu quando foi violada por seis homens num autocarro.

Publicidade

Esse incidente despertou uma onde de protestos contra estes actos e em defesa das mulheres, aos quais se vem juntar, agora, esta banda desenhada.

Devineni acredita que, apesar de o livro poder ser lido em 15 minutos, a mensagem "permanecerá durante mais tempo", tendo como objectivo desafiar as mentalidades mais conservadoras da Índia. Até ao momento, a Rattapallax lançou 6.000 cópias em Hindu e Inglês que deverão ser distribuídas por escolas. A editora vai também pintar murais relacionados com a história em diferentes sítios de Bombaim - a cidade mais populosa do Índia. A banda desenhada - da autoria de Ram Devineni e Vikas Menon, contando com ilustrações de Dan Goldman - também se encontra disponível online gratuitamente.

A editora convida todos os leitores a juntarem-se a esta causa e a tirarem uma foto com a banda desenhada, divulgando-a na internet. Existirá também uma versão da história em realidade aumentada, onde a aplicação Blippar permitirá que se assistam a testemunhos reais de mulheres que foram vítimas de violência sexual.