Foi nesta sexta-feira, 19 de Dezembro, que Barack Obama, durante uma conferência de imprensa, revelou que o Governo Norte-Coreano participou no ataque à Sony Pictures Entertainment, um dos maiores ataques informáticos na história empresarial. Este ataque divulgou conteúdos de e-mails e informações estratégicas da empresa, filmes e guiões foram parar à internet. Porém, o seu objectivo visava o cancelamento do filme The Interview, protagonizado por James Franco e Seth Rogen. O filme satírico foca-se em 2 jornalistas que são contratados pela CIA para assassinaram um líder norte-coreano, Kim Jong-Un. Devido a várias ameaças e à divulgação destas informações, a Sony resolveu cancelar The Interveiw (Uma Entrevista de Loucos, em Portugal), que deveria estrear no dia de Natal nos EUA e a 29 de Janeiro de 2015 nas salas de #Cinema nacionais.

Publicidade
Publicidade

Quando inquirido, relativamente ao cancelamento do filme, a resposta de Obama não podia ser mais directa. "A Sony é uma empresa, sofreu danos significativos. (…) Mas penso que cometeram um erro.", declarou o presidente. "Gostava que tivessem falado comigo primeiro. Ter-lhes-ia dito para não entrarem num padrão no qual são intimidados.", acrescentou. Em resposta a Obama, um diplomata norte-coreano negou, à Reuters, qualquer tipo de envolvimento da Coreia do Norte neste ataque. No entanto, quando saiu o trailer do filme, o país ameaçou os EUA com uma "retaliação impiedosa" se o filme fosse para os cinemas. Numa carta enviada ao secretário-geral da ONU, o regime norte-coreano classificou The Interview como "um patrocínio não disfarçado de terrorismo, bem como um acto de guerra".

Publicidade

Deste modo, mesmo negando qualquer envolvimento, a Comissão de Defesa Nacional norte-coreana confessou que classificava o ataque informático como um "acto justo".

Mas o presidente dos EUA não se mostrou convencido relativamente ao não envolvimento da Coreia do Norte nos "acidentes" que atingiram a Sony recentemente e manteve a sua posição. "Não podemos começar a mudar os nossos padrões de comportamento. (…) A Coreia do Norte perpetrou este ataque, o que diz algo de interessante sobre a Coreia do Norte. (…) A noção de que era uma ameaça para eles dá-nos uma ideia de que tipo de regime estamos a falar.", afirmou Obama. Para finalizar, Barack Obama fez uma promessa. "Causaram muitos estragos e responderemos. Responderemos proporcionalmente num local e num momento que escolheremos."