O jovem Mehmet Emin Altunses, de 16 anos, havia sido preso há dois dias pelas autoridades turcas após ter sido acusado de insultar o Presidente Recep Tayyip Erdogan. O evento levantou imediatamente uma onda de indignação, tanto na Turquia como no resto do mundo, uma vez que para muitos era mais uma demonstração da crescente tirania do Presidente. Parece agora que as manifestações tiveram impacto junto das autoridades, uma vez que Mehemet foi hoje libertado. Apesar da sua experiência, o jovem continua a afirmar que não desistirá de trabalhar para expor a corrupção que grassa no país. O exemplo que o teria levado a fazer as acusações que levaram à sua prisão é o novo Palácio Presidencial, construído nos arredores de Ancara, que contém 1100 quartos e custou mais de 600 milhões de euros.

Publicidade
Publicidade

A verdade é que o governo de Erdogan tem sido alvo de muitas críticas, situação que parece não desaparecer apesar das tentativas do governo de Ancara de controlar os media nacionais. Tendo chegado ao poder como Primeiro-Ministro em 2002, Erdogan conseguiu revitalizar a economia turca, diminuir o poder que o Exército tinha junto do governo, e até chegar a um acordo com os curdos, com os quais a Turquia havia estado em guerra durante três décadas. No entanto começa a prever-se que os seus sucessos comecem a fraquejar. A situação económica poderá rapidamente requerer investimento estrangeiro, e a postura de Erdogan irá dificultar tal iniciativa.

Toda esta situação se torna extremamente irónica se tivermos em conta que a Turquia moderna teve a sua origem no colapso do Império Otomano no fim da Primeira Guerra Mundial, e quase se pode associar a um único homem, Mustafa Kemal Ataturk, considerado por muitos como um dos maiores estadistas do Século XX.

Publicidade

Ataturk comandou as tropas otomanas durante a campanha de Galipoli, onde estas derrotaram as tropas do Reino Unido, e mais tarde faria o mesmo pelos nacionalistas turcos durante a guerra da independência. Quando estabeleceu o governo do novo país, em 1923, tinha a ambição de fazer deste território islâmico um dos estados mais modernos e progressistas do país. Queria um estado secular, onde inclusive as mulheres teriam liberdades inimagináveis na maioria do Médio Oriente, ou mesmo do mundo, da altura. Por exemplo, a primeira mulher a tornar-se uma ás da aviação foi Sabiha Gokçen, uma das filhas adotivas de Ataturk.

Não obstante, um dos motivos da popularidade de Erdogan na atualidade é a associação que faz dos turcos com as suas raízes no islamismo sunita, e declarações feitas recentemente indicam a sua preferência por uma sociedade mais conservadora do que a Turquia moderna e ocidentalizada que se conhecia na viragem do século XXI. Para muitos parece evidente que ele quer manter-se no poder por tanto tempo quanto lhe for possível (há quem o compare a Vladimir Putin, inclusive), e já terá lançado o país num confronto ainda indireto contra o Irão e a Arábia Saudita.

Publicidade

Indo mais longe, certas fontes parecem indicar que Ancara apoiará em segredo o Estado Islâmico.

No entanto, Erdogan tem ainda muitos apoiantes. Inclusive no que diz respeito ao Palácio Presidencial, que despoletou as manifestações de Mehmet Altunses. Muitos cidadãos apoiam a justificação do Presidente, que compara o complexo à Casa Branca em Washington DC, e há quem até sinta orgulho no mesmo. #História