No passado domingo um ferry italiano que partira de Patras (Grécia) rumo a Ancona (Itália) incendiou-se com 478 pessoas a bordo. Um dos passageiros, em situação de desespero, prontamente se lançou ao mar, acabando por morrer poucos minutos depois devido a hipotermia. O incêndio na embarcação "Norman Atlantic", que pertencia à companhia grega Anek, começou num local reservado a veículos, mas rapidamente se propagou, instalando-se assim um verdadeiro clima de terror, em que todo o tempo era precioso para tentar salvar os tripulantes e passageiros. Segundo informações dadas pela televisão grega, o pedido de socorro foi feito às 4h:30 (hora local).

Publicidade
Publicidade

Eram vários os meios aéreos de Itália, Grécia e Albânia que se concentravam no mar Adriático, circundando a embarcação, numa tentativa de resgatar as pessoas que ainda se encontravam no ferry; porém, estas operações enfrentaram bastantes dificuldades devido às ondas gigantescas e aos ventos fortes. Segunda-feira foi um dia especialmente intenso e, de acordo com as autoridades, o incêndio provocou oito mortos, tendo a Marinha conseguido resgatar 427 pessoas, algumas delas com ferimentos.

A operadora Norman Atlantic garantiu à BBC no domingo que o incêndio estava controlado e que, a partir desse momento, as operações de resgate iriam ser mais fáceis de efetuar. Contudo tal não aconteceu, visto as condições climatéricas serem complicadas e o acesso ao ferry ser especialmente difícil.

Publicidade

A acrescentar que, durante uma tentativa de salvamento, duas pessoas caíram no mar, tendo o tamanho das ondas dificultado as operações de resgate. Viajantes e tripulantes concentravam-se na proa do ferry enquanto esperavam por auxílio.

Os relatos de algumas das pessoas resgatadas espelham o clima de terror que se viveu a bordo do ferry. Duas adolescentes compararam o sucedido ao Titanic e um passageiro afirma ter sentido "os sapatos derreterem". Os relatos, imagens e sms não cessam de chegar às televisões gregas. O número de mortos tem vindo a aumentar nas últimas horas e os familiares das vítimas vivem momentos de profunda angústia.