Oito crianças foram encontradas esfaqueadas até à morte perto da cidade de Cairns, no nordeste da Austrália, segundo foi revelado pela Australian Broadcasting e outras agências de notícias. Uma mulher de 34 anos de idade, que se encontrava também na casa e que sofria de feridas no tórax e pescoço, também foi levada para um hospital e está a cooperar com a polícia. O detetive Bruno Asnicar disse que a polícia acredita que a mulher é a mãe de sete das crianças e que a outra criança poderá ser um parente. Até o momento não há informações disponíveis das autoridades sobre as circunstâncias do crime e a polícia ainda não têm suspeitos.

As idades das crianças encontradas sexta-feira variam entre os 18 meses e os 15 anos e foram todos descobertos na mesma casa por volta das 11h20, horário local.

Publicidade
Publicidade

Os detetives aguardavam a chegada dos técnicos forenses para entrarem no local e completarem o seu trabalho. Moradores da cidade, chocados com o crime, fizeram uma vigília durante a noite, com um fluxo constante de pessoas que levaram flores para a cena do crime.

Bessie Mareko, uma vizinha, disse à ABC (Australian Broadcasting Corporation) que viu a mulher e algumas crianças às 2h da manhã a limpar a casa e a colocar os itens indesejados na rua. "Estou realmente chocada. Eu só a vi esta manhã na varanda com os seus filhos ", disse ela. As mortes foram consideradas como um dos piores assassinatos unifamiliares na Austrália. A notícia chocou o país, que ainda está de luto pelas duas pessoas mortas no início desta semana num café em Sydney por Man Haron Monis, um atirador de origem iraniana.

Publicidade

O inspector Asnicar disse aos repórteres na sexta-feira que "no momento, não há nenhuma necessidade de o público se preocupar com esta situação, para além do facto de que é um acontecimento bastante trágico. A situação encontra-se bem controlada no momento". Cairns, por ser uma cidade mineira, é um destino popular para turistas que desejam explorar a Grande Barreira de Corais. A sua população é de cerca de 200.000 habitantes.

De acordo com o jornal The Australian, a prima da mulher, Lisa Thaiday, disse que um jovem de 20 anos e conhecido da família descobriu os corpos na casa. A tragédia foi um choque para ele e para a família. "Somos uma grande família e a maioria de nós são do Strait (Estreito de Torres) ", disse. "Eu simplesmente não posso acreditar... Aqueles pobres bebés."

A ABC informou ter entrevistado um homem chamado Larry Woosup, que disse ser um parente dos ocupantes da casa. "Eu estou desesperado por ouvir tudo o que aconteceu", disse ele. Sendo numa altura tão próxima do Natal, poderemos imaginar o que a família destas crianças estará a sentir. O Primeiro-ministro australiano, Tony Abbott, disse num tweet que os acontecimentos em Cairns foram "de partir o coração e todos os pais sentem uma grande tristeza pelo que aconteceu."