É mais um caso a ensombrar a actuação da polícia americana. Numa altura em que ainda se sente a tensão derivada do caso Michael Brown, na sequência da absolvição do agente policial envolvido, o foco das atenções muda-se agora para Phoenix, Arizona. Um homem negro de 34 anos, Rumain Brisbon, foi alvejado na passada Terça-feira e veio a falecer no local, após um alegado confronto físico com o polícia envolvido, que declarou ter disparado a sua arma em resposta a uma arma escondida. Mais tarde, veio a verificar-se que o objecto era afinal um frasco de comprimidos.

A deslocação do agente ao local em que aconteceram os alegados confrontos foi motivada por uma denúncia de que estaria a ocorrer venda de substâncias ilícitas a partir de um carro estacionado junto a uma loja de conveniência.

Publicidade
Publicidade

Segundo o Departamento da Polícia de Phoenix, o agente abordou Brisbon e ordenou-lhe repetidamente que mostrasse as mãos, mas o homem desobedeceu e fugiu do local. Foi durante o confronto que se seguiu que ocorreram os disparos mortais, que atingiram Brisbon no peito. Como no caso Brown, já há alegadamente testemunhas que contrariam completamente a versão policial e a família já terá contratado um advogado. As autoridades temem agora uma repetição dos tumultos da passada semana e uma escalada da violência.

A tensão racial nos Estados Unidos aumenta a cada novo caso e nenhuma das partes parece querer ceder razão à outra. A população sente agora que já não é fácil saber em quem ou em que acreditar e o país está cada vez mais dividido. A actuação policial também tem tido eco na política, com os democratas e os republicanos a travarem-se de razões em diversos órgãos de comunicação social e a utilizarem velhos argumentos para apoiar uma ou outra parte.

Publicidade

O Presidente Barack Obama está a ser pressionado há várias semanas pelos dois lados para assumir publicamente uma posição forte. Em resposta, Obama quer instituir mais formação policial e quer que os agentes passem a utilizar câmaras no corpo, que permitam retirar todas as dúvidas em casos semelhantes. A proposta causou desconforto entre alguns sectores das forças de segurança.