Às 14h30 de anteontem, em George Square, Glasgow, um camião do lixo fora de controlo subiu o passeio e matou seis pessoas, ferindo pelo menos mais oito. A comunicação social foi rápida a reagir e muitos usuários do Twitter ofereceram o seu apoio e condolências às famílias afectadas pelo incidente, que ocorreu a apenas 3 dias do Natal. Um utilizador do Twitter, no entanto, usou a tragédia como um pretexto para uma piada. Ross Loraine, um homem de 19 anos de idade, de Sunderland, twittou: "Então um camião do lixo apanhou 100 pessoas em Glasgow... eh, provavelmente foi a maior quantidade de lixo que apanhou num dia".

Após este tweet de mau gosto e que gerou várias queixas, Ross entregou-se à polícia. Em resposta à notícia da sua prisão, o Twitter tornou-se um campo de batalha moral, com muito poucas pessoas a ocupar o meio termo. De um lado, os usuários indignados com a "brincadeira" que não têm nenhuma simpatia pelo adolescente de Sunderland, e acreditam que sua prisão é justificada. Do outro lado estão as pessoas que questionam a liberdade de expressão.

A razão oficial para a detenção de Ross foi "publicação de uma comunicação mal-intencionada", de acordo com a Polícia de Northumbria. Não são poucos os que discordam que o comentário era de mau gosto e ofensivo para alguns leitores, mas quem tem o direito de não ser ofendido? A lei da "comunicação mal-intencionada" torna ilegal o envio de comunicações electrónicas com o propósito de causar sofrimento ou ansiedade. Isso é um acto que, neste caso, será muito difícil de provar. A intenção Ross pode ter sido de fazer apenas uma brincadeira, não causar sofrimento ou ansiedade. Condene-se a piada, não a liberdade de expressão.


Muitos comediantes fizeram piadas "ofensivas" ou "de mau gosto", a mais notável delas sendo Frankie Boyle, que já no passado tinha brincado com a quase-morte de Richard Hammond e com a aparição de Rebecca Adlington. Boyle enfrentou pesadas críticas como resultado de seus comentários mas, apesar da ofensa causada pelas suas piadas, ele não foi preso. Considerando a subjectividade da definição, a liberdade de expressão, como tudo, pode ser algo bom e mau. É a forma como escolhemos usá-la que, em última análise, define o tipo de pessoa que somos, e é aí que a punição de Ross Loraine deve assentar.