O grupo fundamentalista Boko Haram iniciou, esta madrugada, um conjunto de ataques na zona nordeste da Nigéria, mais concretamente, no estado de Borno. Embora o exército nigeriano tenha já conseguido impedir que a organização radical islâmica invadisse Maiduguri, a capital da região, os combates continuam, agora noutra zona de Borno. Esta ofensiva do Boko Haram acontece no mesmo dia em que está programada a visita de John Kerry, secretário de estado norte-americano, a Lagos, a maior cidade da Nigéria.

Os relatos recolhidos pela Reuters falam no ruído de explosões e na troca de tiros que despertou a população local e espalhou o pânico, à medida que as forças armadas nigerianas tentavam impedir que os terroristas do Boko Haram invadissem a cidade-chave de Maiduguri, que serve, neste momento, de lar para milhares de pessoas que fugiram dos ataques perpetrados por aquela organização terrorista.

Publicidade
Publicidade

Como medida de segurança, as forças de segurança impuseram um recolher obrigatório na região que está, neste momento, a ser monitorizada pelos aviões da Força Área daquele país.

De acordo com o que a imprensa local conseguiu apurar, o exército nigeriano conseguiu impedir que a organização terrorista assumisse o controlo da cidade de Maiduguri, após longas horas de confronto. Mas a ofensiva do Boko Haram ainda não foi completamente neutralizada e já levou ao reforço de elementos do exército em Njimtilo, uma localidade relativamente próxima da capital do estado de Borno. Entretanto, os media reportaram também um segundo ataque daquela organização, desta vez em Monguno, uma pequena cidade próxima de Maiduguri.

Um aspecto que os media têm sublinhado é a coincidência entre os ataques hoje perpetrados pelo Boko Haram e a visita marcada do secretário de estado norte-americano John Kerry ao país, onde se encontrará com Jonathan Goodluck, presidente da Nigéria.

Publicidade

Prevista na discussão entre os dois políticos está, precisamente, a questão do #Terrorismo, bem como as eleições agendadas para Fevereiro.

Recorde-se que o Boko Haram - cujo nome pode ser traduzido como "A educação ocidental é um pecado" - é uma organização extremista que tem alarmado a Nigéria, através das manobras violentas a que recorre, na tentativa de desenvolver um estado islâmico no país. De acordo com o governo nigeriano, as acções deste grupo, fundado em 2009, somam pelo menos três mil vítimas só desde o começo deste ano.