Um homem armado foi preso após entrar nos escritórios da emissora nacional holandesa NOS, exigindo ser colocado no ar, em directo e sem intervenções. O homem, vestido com um fato preto e gravata, entrou no estúdio da cidade de Hilversum depois de ameaçar um guarda com uma pistola, segundo relataram as testemunhas. Jan de Jong, director da emissora NOS, disse mais tarde aos microfones da rádio nacional que: "Alguém entrou no edifício", acrescentando que o homem teria, entretanto, sido preso e removido pela polícia. De Jong disse que não tinha ainda sido apurada qual a forma como o homem teria passado o forte esquema de segurança no prédio e nos escritórios editoriais em Hilversum.

A emissora NOS informou mais tarde, no seu site, que o homem tinha uma pistola com um silenciador e que teria ameaçado um segurança, obrigando-o a levá-lo até aos escritórios editoriais. O motivo do homem era claro, mas não houve indicação imediata de que o incidente estivesse relacionado com qualquer acto de terrorismo. O aparato deu-se por volta das 20h00, o que levou a estação a cortar a emissão por mais de uma hora, em pleno horário nobre. A edição do noticiário da noite não foi transmitida, tendo sido apenas apresentada uma mensagem na qual se lia: "Devido às circunstâncias, não há transmissão disponível no momento".

A polícia cercou rapidamente o prédio em Hilversum e os funcionários foram evacuados, de acordo com a comunicação social presente no local. Não houve relatos de quaisquer tiros disparados no prédio. O homem tinha, alegadamente, uma carta que dizia: "Estou fortemente armado. Se cooperarem, nada vos vai acontecer." O homem foi direccionado para um estúdio vazio, onde foi preso cerca de 10 minutos depois e levado pela polícia.

A NOS divulgou entretanto as imagens do ataque, nas quais se vê um homem nervoso, a deambular pelo estúdio com uma pistola com silenciador. Após poucos minutos, a polícia surge e o homem é preso sem resistência. Até ao momento desta publicação não são ainda conhecidos mais detalhes sobre a motivação do atacante e quais as informações que pretendia transmitir, caso fosse colocado no ar.