A 11 de março de 1990, a Lituânia conseguiu "libertar-se" da União Soviética. 25 anos depois, muitos lituanos ainda não conseguem esquecer o meio século de uma união traumatizante. Este país, que aderiu ao euro este mês, quer evitar repetir experiências semelhantes. Para tal, o Ministro da Defesa, Juozas Olekas está a distribuir livros de ajuda para sobrevivência na guerra.

Foi na quarta-feira, dia 28 de janeiro de 2015, que diversas crianças lituanas, receberam um livro que ensina o tipo de atitude que se deve ter, na eventualidade do país ser invadido. 2 mil livros já estão presentes nas escolas secundárias. Outros locais de ensino, como as universidades, ou as bibliotecas públicas também vão receber em breve estas obras.

Publicidade
Publicidade

Entre as várias explicações dadas na obra, constam as melhores dicas para encontrar um refúgio ou para a retirada das zonas de guerra. O clima tenso que se vive entre russos e ucranianos, tem provocado grande preocupação naquele País Báltico.

O guia de resistência não menciona a Rússia como principal ameaça, mas o ministro lituano não esconde que esta iniciativa foi influenciada pelos últimos acontecimentos decorridos na Ucrânia. A integração da região ucraniana da Crimeia e a aliança de Moscovo com os defensores pró-russos da zona este da Ucrânia estão a causar a apreensão da Estónia, Letónia e Lituânia.

No 1.º dia deste ano, a Lituânia foi o 19.º Estado-membro da zona euro a aderir à moeda única, deixando assim os Litas (para facilitar a adaptação à moeda, os preços vão estar assinalados até junho em euros e litas, e 1 euro equivale a 3,44 litas).

Publicidade

Esta adesão foi decididamente uma opção política. por causa das, cada vez maiores, tensões entre a Europa e a Rússia sobre o conflito na Ucrânia.

A Integração na União Europeia

O desejo da Lituânia fazer parte do mundo ocidental e de ser vista como nação europeia, remonta ao Rei Mindaugas. Uma vontade que expressou em 1254.

A aproximação da Lituânia à União Europeia, começou a 1 de fevereiro de 1998 . Primeiro associou-se como Membro da organização, alguns anos depois (mais concretamente a 16 de abril de 2003) foi assinado o Tratado de Adesão, poucas semanas depois (11 de maio de 2003), realizou-se o referendo que pretendia saber qual a vontade dos lituanos sobre a eventual integração do país enquanto estado-membro da União Europeia, tendo a maioria dos eleitores (2001) dito o "Sim". A adesão foi formalizada a 1 de maio de 2004. Por fim, quase 11 anos depois, chegou uma nova moeda ao país: o Euro.

A Lituânia acompanha assim a tendência dos outros Países do Báltico: começam a integrar-se no contexto europeu. A Letónia, uma das vizinhas da Lituânia, e que também foi noutros momentos ocupada pelos Soviéticos, lidera durante este ano a presidência da União Europeia.