É uma refeição que não está a cair bem à conceituada marca McDonalds. A notícia chega-nos da Virgínia (EUA) e diz que dez antigos funcionários de um restaurante localizado naquele estado norte-americano interpuseram uma acção judicial contra a cadeia de restaurantes por assédio sexual e discriminação racial. A acção deu entrada no tribunal esta quinta-feira, dia 22. Note-se que este não é o primeiro caso do género. Em fevereiro de 2014, noticiava o diário britânico "The Independent" que um individuo afro-americano processara a McDonalds, após um empregado se ter recusado a dar-lhe mais que um guardanapo.

O grupo de dez ex-trabalhadores do restaurante é constituído por nove indivíduos afro-americanos e um hispânico que exerciam as suas funções em três dos restaurantes da multinacional norte-americana, propriedade do franchisado Michael Simon.

Publicidade
Publicidade

Mas os problemas da McDonalds não se encerram neste caso. É que para além do processo colocado pelos antigos funcionários contar com o apoio do sindicato local e da Virginia National Association for the Advancement of Colored People (associação que luta contra a discriminação racial), o mesmo pretende ainda responsabilizar a marca e a companhia McDonalds pelas más condições de trabalho nos franchisers.

Entretanto, a multinacional fundada nos anos 40 pelos irmãos McDonald, Richard e Maurice, veio a terreiro pronunciar-se sobre a situação. Em comunicado citado pela BBC, a McDonalds repudiou qualquer acto de discriminação, na medida em que apresenta uma "longa história de inclusão" no que diz respeito a clientes, franchisados ou fornecedores. No mesmo comunicado, a companhia sublinha ainda que "partilha com os seus franchisados um compromisso de tratar bem todos os que trabalham nos nossos restaurantes".

Publicidade

Todavia, a marca frisa que as responsabilidades pelo cumprimento (ou não) das condições de trabalho nos seus estabelecimentos é dos franchisados.

Receitas da McDonalds caem quase 15%

O lucro da McDonalds em 2014 foi de 4.757,8 milhões de dólares, menos 14,8% relativamente a 2013, divulgou esta sexta-feira em comunicado a multinacional norte-americana. Em 2013, o resultado líquido fora de 5.585,9 milhões de dólares. #Justiça