Quarenta minutos depois de um pequeno avião ter perdido contacto com a torre de controlo no Kentucky, Estados Unidos, uma pequena menina de sete anos, descalça e coberta de sangue, emergiu da floresta e bateu à porta de Larry Wilkins. "Abri a porta e lá estava uma menina com sangue no nariz, sangue nos braços, sangue nas pernas, só uma meia, sem sapatos, a chorar…", descreveu o homem à Associated Press. Wilkins ligou para o número de emergência. Quando a polícia chegou, Sailor Gutzler estava "muito abalada, mas viva" e foi capaz de indicar às equipas de resgate o caminho para o local do acidente, disse o tenente da polícia estatal do Kentucky, Brent White, à NBC.

Publicidade
Publicidade

Depois de uma pequena busca, foi encontrada a avioneta Piper PA-34 e os corpos dos familiares de Sailor: o pai Marty, de 48 anos, a mãe Kimberly, de 46, a irmã Piper, de nove, e a prima Sierra Wilder, de 14 anos. Sailor foi a única sobrevivente e as autoridades esperam que ela possa ajudar a determinar o que causou a queda do aparelho. É raro alguém sofrer um desastre num pequeno avião e sobreviver, explicou Heidi Moats, do National Transportation Safety Board: "Ter uma testemunha é sempre útil na investigação", afirmou. Moats acrescentou que Sailor "é uma jovem notável".

O que sabe até agora é o seguinte: no dia 2 de Janeiro, a família Gutzler viajava do Aeroporto Regional de Tallahassee, na Florida, de regresso a casa, em Nashville, na Florida, depois de terem visitado uns familiares em Key West.

Publicidade

Marty, o pai de família e também piloto comercial e instrutor de vôo, pilotava o avião e enfrentava um clima bastante adverso. Por volta das 19h (hora local), fez uma chamada de emergência. Pouco depois, a aeronave desapareceu dos radares.

Quando foi encontrada, a pequena Sailor estava vestida com roupas próprias da Florida - calções e camisola de manga curta - notaram as autoridades. Quando chegou à casa de Wilkins, que fica a cerca de um quilómetro e meio do local do acidente, tinha apenas uma meia. Agora, os familiares estão focados no futuro de Sailor. Criaram um fundo para angariar dinheiro que, dizem, ajudará a menina a conseguir o apoio emocional, físico e educacional de que irá precisar nos próximos anos. "Ela vai precisar de muita ajuda", apontou o homem que lhe limpou a cara e o corpo enquanto a polícia não chegava. "Não consigo imaginar como é que alguém tão jovem pode viver algo assim, especialmente vê-lo - ver os pais morrerem. É incrível que ela se tenha mantido tão bem como ela se manteve", desabafou. Convém frisar que as temperaturas no local eram geladas e a zona de densa floresta.

Kent Plotner, porta-voz da família, disse que os Gutzlers estão devastados e pediu às pessoas para rezarem pela pequena Sailor. "Estamos devastados por esta perda, mas confiantes que eles descansam agora nos braços de Deus", disse numa declaração. "Pedimos a todos que respeitem a nossa privacidade neste momento difícil. Por favor, rezem por nós, especialmente pela Sailor Gutzler", concluiu.