A Índia é um dos países do mundo com maior índice populacional, com cerca de 1 bilião de habitantes e, apesar de atualmente ser vista como uma economia emergente, continua a ser considerado um país em vias de desenvolvimento, onde a fome e a má nutrição atingem milhares de crianças. Foi quando se apercebeu da gravidade desta situação que Manoj Kumar, antigo diretor executivo da banca, decidiu agir, assumindo, em 2000, o cargo de CEO da ONGD (organização não governamental para o desenvolvimento) Naandi. Hoje em dia, através do apoio de grandes empresas, a Naandi alimenta mais de 1000 000 de crianças, sendo por isso considerada como uma das maiores organizações a nível mundial no setor social.

Publicidade
Publicidade

Enquanto diretor executivo desta ONGD, Manoj Kumar foi responsável pela criação de um modelo sustentável de programas governamentais do chamado 3º setor e demonstrou o sucesso da sua implementação em larga escala com eficiência e resultados visíveis, nomeadamente, através do trabalho realizado em cerca de 100 000 escolas públicas.

A Naandi, que em Sânscrito significa "um novo começo", foi fundada em 1998 como Fundação de Caridade Pública e a ideia era criar um modelo de organização que pudesse ser gerida por profissionais e líderes de grandes empresas, e não apenas por voluntários, de forma a ser possível obter uma nova experiência no desenvolvimento do setor social na Índia. Com efeito, através de parcerias com vários governos estaduais, empresas e organizações nacionais e internacionais de desenvolvimento como o Banco Mundial e a UNICEF, conseguiu implementar e fazer chegar a muitos locais da Índia diversos serviços públicos.

Publicidade

Serviços como o ensino básico com discriminação positiva das raparigas, acesso a água potável e saneamento, qualificação e emprego para os jovens, proteção da maternidade e desenvolvimento da primeira infância, incluindo a resolução de desnutrição entre as crianças, têm sido os focos de atuação e aposta de combate desta ONGD.

Os seus principais parceiros são as comunidades que procura auscultar para perceber os maiores problemas de cada região, tornando-as parceiros igualitários na solução dos mesmos. Procura também capacitá-las para o seu próprio potencial e para o acesso aos serviços básicos de que necessitam de uma forma sustentável, garantindo o seu bem-estar social e o potencial para o desenvolvimento da economia.

Este trabalho junto das comunidades é enriquecido com as parcerias que a ONGD estabelece junto de entidades estatais, do setor privado, de especialistas técnicos e outros interessados em contribuir para o melhoramento das condições de vida das comunidades carenciadas. Por isso, a ONGD Naandi é considerada uma das maiores e mais emergentes organizações do setor social na Índia através do trabalho que tem realizado em prol da eliminação de um dos seus maiores flagelos, que é a pobreza.