Existem sítios que viver é quase impossível. O tempo é um sério obstáculo. Mas por incrível que pareça, em muitos casos, o ser humano consegue ultrapassar as adversidades. Neste artigo são revelados (por ordem) os 9 lugares mais fresquinhos do mundo. Prepare-se para a notícia mais fria que já leu alguma vez.

É na América do Norte, mais especificamente no Alasca, que se regista a temperatura média mais baixa o mundo. Pode atingir os 62 graus negativos! Neste país situa-se uma das montanhas mais geladas do mundo: O Monte McKinley (também conhecido por Denali). Pensamento positivo, podia ser pior. Afinal são só 40 graus negativos.

Descendo ao sul do hemisfério sul, chegamos à Antártida: 89,2 graus negativos (21 de julho de 1983) foi, de acordo com os estudos do cientistas, o pior resultado de sempre ali obtido.

Publicidade
Publicidade

Pior é impossível, deve estar a pensar o leitor. Não, não é. Para juntar a este "menu", temos ainda como "prato do dia" um clima árido e perigosas precipitações.

Voltando a subir no hemisfério, encontramos, na Europa, o local mais frio do continente e o terceiro mais adverso do mundo: a Estónia. As baixas temperaturas neste país explicam-se pela forte presença das chuvas. Fazendo uma viagem de barco, ou de avião, como preferir, chegamos à vizinha Finlândia. Não é de estranhar que, no inverno, aqui se chegue aos 20 graus negativos. Durante 4 longos meses a neve é uma presença constante. É na terra do Pai Natal, a Lapónia, que encontramos as temperaturas mais adversas. Na altura de verão, as temperaturas são mais confortáveis.

Ali ao lado, na Rússia, em qualquer altura do ano as temperaturas médias apresentam números muito baixos.

Publicidade

Em Janeiro a temperatura máxima atinge frequentemente os 8 graus negativos e a mínima os 27 graus negativos. Na época do verão, o calor pode destabilizar qualquer um. Se alguém estiver a ponderar visitar este país nessa altura do ano, recomendo que use o mínimo de roupa possível e se possível use o maior número de vezes a ventoinha, e que possa fazer dar uns mergulhinhos no mar, pois as temperaturas médias, de 3 graus, são bem convidativas a isso.

Um saltinho mais para cima e ai aqui estamos nós: Gronelândia. Os ventos frequentes são um problema. As temperaturas diferem de cidade para cidade. Por exemplo na região de Prairie é comum chegar-se aos 15 graus negativos, de dia, e aos 39 graus negativos de noite.

Agora desloquemo-nos ao Cazaquistão, antigo território soviético. É um país que vai do 8 ao 80: o verão é quente e o inverno é brutalmente frio. A capital, Astana, é o sítio mais gélido do país. Apresenta chuvas irregulares, mas intensas. Não permanecer em casa nesta época do ano pode ter efeitos nada animadores para a vida humana, como por exemplo, a forte possibilidade de se congelar os dedos.

Na Mongólia, o frio intenso que se regista todo o ano motiva a precipitação e converte a água para estado sólido. No inverno a temperatura média é inferior a 0 graus. #Natureza #Curiosidades