As contas de Twitter da agência noticiosa United Press International e do jornal New York Post foram pirateadas esta sexta-feira. Isso explica uma série de notícias estranhas - que se vieram então a revelar como falsas - que andaram a circular durante o dia, após divulgadas nessa rede social. Uma dessas notícias falsas trata-se de o anúncio de uma Terceira Guerra Mundial feito pelo Papa Francisco. Mas outras notícias alarmantes foram partilhadas nas contas dos dois meios de comunicação, durante a tarde desta sexta-feira.

Numa das publicações feita na conta da United Press International é possível ler-se que a Terceira Guerra Mundial acabou de começar, como sendo uma afirmação do Papa Francisco, que aparece na imagem que ilustra a declaração.

Publicidade
Publicidade

Logo após a publicação sobre as - falsas - declarações do Sumo Pontífice, outra publicação dava conta de que o presidente-executivo do Banco da América apelava à calma.

No tabloide americano New York Post, foi enviada uma mensagem que dava conta de que navios Norte-Americanos e Chineses estariam em pleno combate naquele momento, no mar da China. Nos tweets seguintes, eram publicadas as reacções das autoridades ao sucedido e uma análise aos estragos nos navios que se encontravam em combate. Perante estas notícias falsas e para tranquilizar a população, um representante do Pentágono já veio a publico garantir que as supostas hostilidades com a China não são verdadeiras, não havendo assim motivo para alarme.

Os responsáveis pelos dois órgãos de comunicação social confirmaram que as contas tinham sido pirateadas.

Publicidade

As publicações falsas feitas pelo invasor foram apagadas, e foram depois publicados esclarecimentos e a confirmação de que as notícias não passavam de uma brincadeira de mau gosto do pirata informático que tinha acedido às contas.

Na sequência do atentado de quarta-feira, vários municípios franceses viram as suas contas pirateadas por simpatizantes do Estado Islâmico. Desta vez, parece ser apenas uma brincadeira isolada. Nos últimos anos várias organizações de comunicação têm sofrido de pirataria informática. Barack Obama e David Cameron têm vindo a discutir medidas para assegurar a segurança informática.