Aquele que ficou conhecido como "o reformador da Arábia Saudita" faleceu esta quinta-feira, aos 90 anos. O Rei Abdulah exerceu um papel fundamental na defesa da paz no Médio Oriente e na defesa dos direitos das mulheres, sendo considerado pelo primeiro-ministro do Canadá, Stephen Harper, um homem "apaixonado pelo seu país, pelo desenvolvimento e [pela] economia mundial". A década que passou como representante do Médio Oriente fica marcada por algumas medidas inovadoras no campo social. Em 2011, as mulheres passaram a ter direito ao voto e direito a candidatarem-se às eleições municipais. A medida foi considerada uma revolução e um avanço na forma como a figura feminina era vista no Médio Oriente.

Publicidade
Publicidade

O rei subiu ao trono em 2005 já com 80 anos sucedendo a Fahd Al-Saud que já governava desde 1982. Governante de sociedade considerada uma das mais conservadoras do Mundo, Abdulah foi um promotor na defesa da paz no Médio Oriente. Por várias vezes se pronunciou contra a violência dizendo que "rejeitava atos de terrorismo que visavam minar a estabilidade da região do Golfo".

A luta pela estabilidade no Médio Oriente foi um dos aspetos referidos na expressão de condolências do Presidente dos Estados Unidos da América (EUA), Barack Obama que destacou a "convicção forte e apaixonada" de Abdulah para estabelecer uma colaboração entre as duas nações para a estabilidade do Médio Oriente.

Da história de governação de Abdulah fazem ainda parte algumas críticas feitas pelo líder.

Publicidade

Aquando dos ataques de 11 de Setembro de 2011 nos EUA, o rei criticou a imagem negativa face ao Médio Oriente passada pelos meios de comunicação social.

Abdulah bin Abdulaziz al Saud nasceu em Agosto de 1924, embora esta data seja alvo de controvérsia, e foi o 13º filho de Abdul Aziz Al-Sal, criador do Estado saudita moderno e de Fahda, a 8ª das 16 mulheres do rei. A educação do agora falecido rei foi caracterizada por uma partilha de ideais tradicionais e por regras rígidas. Abdulah faleceu esta quinta-feira, na Arábia Saudita vítima de uma pneumonia. O funeral vai-se realizar esta sexta-feira à tarde.