Investigadores em busca dos restos mortais do famoso escritor espanhol Miguel de Cervantes encontraram parte de um caixão com as iniciais do autor de Don Quixote. A descoberta foi feita no último fim de semana, no seguimento das escavações que decorrem num convento em Madrid. A equipa, liderada pelo arqueólogo forense Francisco Etxeberria, encontra-se a trabalhar na cripta do Convento de las Trinitarias Descalzas (Convento das Trinitárias Descalças) há nove meses, com o intuito de resolver o mistério da última morada de Cervantes. Existem registos de que o escritor foi sepultado na capela do convento, no centro da capital de Espanha, um dia após a sua morte, em 22 de abril de 1616.

Publicidade
Publicidade

Contudo, o local exato do túmulo é, até hoje, desconhecido.

Recorrendo a câmaras de infravermelhos, digitalizadores 3D e radares com capacidade para penetrar no solo, os investigadores identificaram 33 alcovas onde as ossadas poderão encontrar-se. A descoberta deste fim de semana acontece precisamente após um intervalo de vários meses nas escavações, para análise das referidas alcovas. Haverá agora que examinar as ossadas, de modo a determinar se as de Cervantes lá se encontram.

As iniciais M.C. encontradas nas tábuas de um dos caixões, vêm aumentar a esperança e a expetativa no sentido de um bom desfecho, pese embora não constituírem um grande avanço em termos antropológicos. Para melhor identificarem os restos mortais, os investigadores irão basear-se em referências físicas, nomeadamente ferimentos de guerra sofridos pelo escritor.

Publicidade

Sabe-se que Cervantes foi alvejado duas vezes no peito e uma na mão esquerda durante um conflito naval em 1571, a Batalha de Lepanto, na qual a Liga Santa, conduzida pelos espanhóis, derrotou a armada do Império Otomano. As ossadas de Cervantes ainda apresentarão sinais visíveis desses ferimentos.

Nascido próximo de Madrid em 1547, Cervantes é considerado o pai do romance moderno, com a sua obra seminal El ingenioso hidalgo Don Quixote de la Mancha (título original), uma das mais importantes de toda a #Literatura mundial. Da sua vida muito se sabe. Agora, o mistério da sua morte, com quase quatro séculos, poderá estar a ponto de ser resolvido. #História