Foi ontem encontrada uma bomba não detonada datada da II Guerra Mundial perto do estádio do Borussia Dortmund, na Alemanha. Segundo a Reuters, a bomba de origem britânica localizava-se na área de estacionamento, próximo da tribuna VIP ocidental do Sigma Iduna Park, casa do clube alemão. O dispositivo pesava cerca de 250 quilos e foi detetado a 5 metros de profundidade durante as obras de restauração do edifício. A área foi imediatamente evacuada e criado um perímetro de segurança com um raio de 250 metros em torno do estádio. Por volta das 15 horas locais desta quinta-feira, a bomba foi desativada pelas autoridades e transportada para a câmara municipal de Dortmund.

Publicidade
Publicidade

A descoberta da bomba ocorreu horas antes da conferência de imprensa do treinador da casa, Juergen Klopp, para a antevisão do dérbi do Vale do Ruhr, que decorre este sábado, e que opõe o Borussia Dortmund ao Schalke 04, para a Bundesliga. Por razões óbvias de segurança, e depois de encerrar todos os acessos do Sigma Induna Park, a conferência foi deslocada para o centro de treinos da equipa. O treinador não deixou de brincar com a situação: "Espero que, no sábado, não hajam bombas por explodir no estádio."

Algumas horas depois do incidente, os representantes do clube enviavam um comunicado assegurando que a situação havia sido resolvida: "A bomba foi desactivada. O gabinete do presidente, o estádio e a área dos adeptos já foram desimpedidos".

Esta não é uma situação nova para a Alemanha.

Publicidade

A deteção de bombas da II Guerra Mundial é relativamente comum no território, um dos principais palcos do conflito bélico que opôs os Aliados às Potências do Eixo e onde milhões de bombas foram lançadas pelos primeiros na tentativa de destronar o regime nazi. Com um número de vítimas mortais superior a 60 milhões de pessoas, marcado pela perseguição e assassinato de judeus, naquilo que ficou conhecido como Holocausto, e pela detonação de duas bombas atómicas sobre as cidades japonesas de Hiroshima e Nagasáqui, a II Guerra Mundial é considerada o conflito mais letal da História da Humanidade.