O petróleo, em queda nos mercados internacionais, obrigou à revisão das contas públicas angolanas. Segundo as estatísticas, "as receitas fiscais face ao petróleo caíram de 70%, em 2014, para 36.5%, neste ano". Por esse motivo, cortes orçamentais foram considerados pelo executivo angolano como medidas de austeridade. Contudo, Onofre dos Santos afirma que o estabelecimento de investimentos prioritários, inclusivamente no saneamento básico e habitação, não podem ser considerados nem austeridade, nem inconstitucionais.

José Eduardo dos Santos emitiu, em comunicado à Assembleia Nacional de Angola, que o orçamento geral do estado, que foi recentemente revisto, será executado cautelosamente. As contas públicas deste ano "acompanharão a evolução da receita fiscal" e em particular a "receita não petrolífera". Um futuro aumento da cotação de petróleo permitirá aumentar investimentos públicos e aumentar recursos. O novo orçamento antevê um corte, de mais de um terço, nas despesas públicas previstas e irá afectar todos os sectores.

No sector público possivelmente haverá o congelamento de admissões e poderá estar previsto um corte nos subsídios. Grandes cortes orçamentais estão previstos também no sector da defesa, segurança e ordem pública, com um corte de cerca de 17% na verba prevista. As grandes obras nacionais que estariam previstas para 2015 recebem também um corte orçamental, no entanto, segundo José Eduardo dos Santos, "existem despesas prioritárias".

Estão previstos serem investidos pelo menos 28 milhões de euros para o desenvolvimento de projectos reestruturantes do país, principalmente a construção de infraestruturas. Prevê-se, ainda, a construção de mais equipamentos sociais no sector da saúde e do ensino. O sector dos transportes, por outro lado, é o que terá mais investimento. Havendo, também, intenção de criar medidas anti-terrorismo, sobretudo com a recente subida do terrorismo a nível mundial. Assim, e apesar dos cortes estarem previstos, existem mais de 60 projectos considerados prioritários, sendo a maioria deles elaborados pela, já contratada, empresa Grupotec.