O carrasco de cara tapada, que apareceu em diversos vídeos do Estado Islâmico a decapitar os reféns e a ameaçar diversos países, é londrino. Ficou conhecido como Jihadi John, devido à sua pronúncia londrina, e foi agora identificado como Mohammed Emwazi. Viajou para a Síria em 2012 para se juntar ao grupo de estrangeiros do auto-denominado Estado Islâmico. Jihadi John é o principal símbolo da barbárie terrorista.

Já se desconfiava que o carrasco do Estado Islâmico fosse londrino, devido à sua pronúncia - o que lhe valeu a alcunha de Johadi John - e agora as suspeitas confirmam-se. Segundo a BBC, trata-se de Mohammed Emwazi, de 26 anos, que vivia na zona oeste de Londres.

Publicidade
Publicidade

Segundo o "The Guardian", Emwaszi nasceu no Kuwait e foi morar para o Reino Unido com a família aos seis anos de idade.

Pertencia a uma família de classe média-alta e licenciou-se em programação informática. Viajou em 2006 para a Somália onde terá criado ligações com o grupo extremista al Shabab. Em 2009 viajou para a Síria, onde se juntou ao grupo extremista, auto-denominado Estado Islâmico. A primeira vez que apareceu num vídeo dos jihadistas terá sido em Agosto, sendo o responsável pela decapitação do jornalista norte-americano James Foley. Seguiram-se vários reféns, entre eles os voluntários ingleses. A última vez que apareceu em vídeos divulgados pelo Estado Islâmico foi na execução dos japoneses Haruna Yukawa e Kenji Goto, cujo vídeo foi partilhado já este ano.

As autoridades britânicas ainda não confirmaram a identidade do jihadista.

Publicidade

Os especialistas ingleses usaram um vasto conjunto de técnicas para descobrir a identidade de Jihadi John, como por exemplo análises de voz. O Centro para o Estudo da Radicalização não tem dúvidas de que a notícia é verídica e o carrasco é mesmo Emwazi. Alguns amigos também se pronunciaram, afirmando não ter dúvidas em relação à identidade do mesmo. As autoridades britânicas e a Scotland Yard preferem não comentar a notícia avançada pela imprensa americana. Até ao momento, a imprensa inglesa afirmava que o homem que aparecia nos vídeos se tratava de um rapper, conhecido como Abdel-Majed Abdel Bary, que cresceu na mesma zona que o agora suspeito. #Terrorismo