Se de um lado "Boyhood" e "Birdman" prometem ser os grandes vencedores da cerimónia dos Óscares, que premeia o que de melhor se fez no último ano cinematograficamente, por outro temos a festa dos Razzie com "Sex Tape" e "Transformers". Os prémios Razzie têm o intuito de homenagear o que de pior se fez na indústria do cinema. Ontem, antes dos Óscares, como já é tradição, celebraram-se as más interpretações, os diálogos pobres e, sobretudo, as histórias superficiais no mundo da sétima arte. Ao contrário do que se verifica nos prémios da Academia, nenhum actor pretende ser o protagonista dos Razzie, uma cerimónia que apenas premeia a má qualidade e a vergonha alheia, ou seja, os piores #Filmes feitos anualmente.

Publicidade
Publicidade

Este ano o grande vencedor foi "Saving Christmas", levando para casa a estatueta de pior filme do ano. Noutras categorias, Cameron Diaz foi eleita a pior actriz do ano, com interpretações pouco conseguidas em "Sex Tape" e "A outra mulher". Já o Razzie para pior actor foi para Kirk Cameron, o protagonista do pior filme do ano, segundo os membros da cerimónia. Quanto aos actores secundários, levaram a mal-amada estatueta Kelsey Grammer ("Pensar como um homem"; "Transformers 4") e Megan Fox ("Tartaturas Ninja Adolescentes"). Contudo, Michael Bay não deixou o seu actor Grammer sozinho nas premiações, conquistando o aclamado troféu de pior realizador do ano, pelo seu trabalho em "Transformers 4".

Mas se pensa que esta cerimónia apenas celebra e ridiculariza o que de pior se faz na sétima arte, desengane-se.

Publicidade

Este ano, os responsáveis pelos Razzie decidiram criar uma nova estatueta de redenção, para actores que já foram vencedores nas suas categorias, mas que este ano demonstraram uma clara melhoria no seu trabalho artístico. Ben Affleck fica na história por ter sido o primeiro galardoado por este prémio, destacando-se em filmes bem aceites pela crítica, com especial foco para o filme nomeado pela Academia, "Gone Girl".

Mais um ano e mais uma série de profissionais que vão directamente para a "parede da vergonha", pelo menos na opinião dos mais de 800 jurados dos Razzie. Ao contrário dos Óscares, a maior parte dos nomeados não ousa aparecer nesta cerimónia, demonstrando pouco sentido de humor ou então desculpando-se com a sua "agenda cheia". A verdade é que esta cerimónia tem vindo a ser bem aceite pelos espectadores, que cada vez conta com mais adeptos. A cerimónia oposta aos Óscares pode não ter metade do glamour, mas tem seguramente o dobro da piada. #Entretenimento #Cinema