Após ser publicado o vídeo em que um piloto jordano é queimado vivo, as Forças Armadas jordanas prometeram vingança. Segundo o seu porta-voz, a vingança vai ser do mesmo tamanho que as atrocidades cometidas pelo grupo extremista e pela calamidade que agora atingiu a Jordânia. Recorde-se que o governo deste país já tinha ameaçado matar todos os prisioneiros do Estado Islâmico caso o piloto Moath al-Ksasbah não fosse libertado.

O grupo extremista do Estado Islâmico exigia a libertação de Sajida al-Rishawi, que se encontra no país, no corredor da morte. A Jordânia mostrou-se disposta a libertar a jihadista em troca da libertação do piloto que foi capturado a 24 de Dezembro.

Publicidade
Publicidade

O problema das negociações foram o facto de o Estado Islâmico nunca ter dado provas de que Ksasbah ainda estivesse vivo. Segundo a televisão oficial jordana o piloto já não estaria vivo, uma vez que de acordo com a mesma fonte ele teria sido executado à exactamente um mês atrás, a 3 de Janeiro. A última imagem de piloto Moath al-Ksasbah vivo – antes do vídeo divulgado hoje em que aparece a ser queimado – foi ao lado de Kenji Goto num vídeo da organização extremista do Estado Islâmico. O jornalista Kenji Goto acabou por ser executado, e o vídeo da sua decapitação foi divulgado a 31 de Janeiro.

Segundo uma fonte de segurança do governo jordano, em declarações à agência France Presse, a Jordânia irá executar a jihadista iraquiana Sajida al-Rishawi como forma de retaliação. A execução deverá acontecer nesta quarta-feira.

Publicidade

O rei Abdullah II está em visita aos Estados Unidos, mas irá abandonar a visita e já se prepara para regressar ao país.

A veracidade das imagens divulgadas hoje continua por confirmar, mas o presidente dos Estados Unidos da América já se pronunciou sobre as mesmas. Na hipótese – bastante elevada – de se tratar de um vídeo verdadeiro, nas palavras de Obama, isso só vem provar a “crueldade e barbárie” do grupo extremista. O presidente norte-americano apelou, mais uma vez, para que a determinação seja reforçada na luta contra os jihadistas que têm espalhado o horror. #Terrorismo