Era uma da tarde na República Checa (meio-dia em Lisboa) quando a polícia chegou ao local que foi palco de um tiroteio. Contudo, nessa altura, já nada havia a fazer. O alvo foi um restaurante na pequena cidade de Uhersky Brod a trezentos quilómetros de Praga, já bastante próxima de fronteira com a Eslováquia. Entre clientes e empregados, lá dentro estavam cerca de vinte pessoas. O tiroteio ocorreu em plena hora de almoço e sabe-se que o homem terá entrado no restaurante e, de imediato, disparou de forma indiscriminada.

Segundo informações citadas pela agência checa CTK, algumas pessoas que se encontravam perto do local disseram ter contabilizado cerca de vinte e cinco tiros. A hipótese de se tratar de um possível atentado terrorista foi desde logo colocada, e nas horas que se seguiram foram chegando ao local unidades da polícia, incluindo polícia de elite.

Publicidade
Publicidade

O atirador atingiu ao todo nove pessoas, uma das quais está ferida em estado grave e, posteriormente, suicidou-se. A morte do autor deste tiroteio já foi confirmada por Milan Chovanec, ministro do interior checo.

Horas mais tarde veio a saber-se que o autor deste tiroteio não era um terrorista. Tratou-se de um sexagenário com alegados problemas psicológicos que horas antes do ataque terá ligado para uma televisão local a dizer que a polícia não estava a colaborar com ele, resolvendo-lhe os problemas e, desta forma, iria fazer justiça pelas próprias mãos. As autoridades não confirmam se foi ou não um ajuste de contas, ou simplesmente uma perturbação mas também creem na tese de que o autor dos disparos sofria de problemas psicológicos.

O ataque no restaurante Droujba (que significa amizade em checo) foi o mais mortífero de sempre na história recente da República Checa.

Publicidade

O Primeiro-Ministro da República Checa, Bohuslav Sobotka, num comunicado, demonstrou-se aterrorizado com o ataque e prestou condolências às famílias das vítimas mortais. O autarca da cidade de Uhersky Broad refere que, por se tratar de uma situação pontual, era impossível terem-se desenvolvido medidas de segurança capazes de evitar este incidente. #Crime